Por thiago.antunes

Rio - Sempre que o verão chega, alguns moradores da região de Adriana, em Campo Grande, voltam a enfrentar um antigo problema: a falta d’água. Esse ano não foi diferente. Na última sexta, o local ficou sem água.

Neste sábado, a água voltou, mas escassa. A chef de cozinha Teresa Alexandre, de 45 anos, sofre com a situação: “Tem dias em que a água vem bem fraquinha e não consegue subir pra caixa d’água. Posso dizer que estou bem. Quem mora no alto do morro fica sem água pra tomar banho”.

Jacqueline passou a estocar água por causa dos problemas frequentesFernando Souza / Agência O Dia

A doceira Glória Regina Izidio, de 46 anos, que mora na parte alta do bairro, convive neste cenário há 17 anos. “Tenho cachorro e preciso lavar o quintal todos os dias. Se eu não levantar às 7h, não encontro mais água depois das 8h. Ela só volta por volta das 20h. Pago pra ter água”, diz.

Vizinha de Glória, a também doceira Jacqueline de Souza Netto, de 36 anos, passou a estocar a água. “Todos os dias encho os tonéis. Já reclamamos com a Cedae e não fomos atendidos. Moro aqui há 10 anos”, conta.

De acordo com a Cedae, o “problema informado é pontual”. A companhia acrescentou que vai enviar hoje uma equipe de técnicos ao local para “vistoriar a rede que atende a região em busca de algum possível entupimento ou vazamento”. No verão, ainda segundo a empresa, “o consumo aumenta em média 30%, provocando redução da pressão da água na rede em alguns pontos”.

Você pode gostar