Por raphael.perucci

Rio - O prefeito Eduardo Paes disse, na manhã desta terça-feira, que "a prioridade da Prefeitura é atender vítimas e salvar vidas". Quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas após um caminhão atingir e derrubar uma passarela da Linha Amarela, na altura do bairro de Pilares, na Zona Norte da cidade. O acidente aconteceu por volta das 9h e a via foi interditada nos dois sentidos. A informações são da Lamsa, concessionária que administra a via expressa.

>>> GALERIA: Tragédia na Linha Amarela deixa quatro mortos

Passarela ficou atravessada na Linha Amarela e parou o trânsito na cidadeFabio Gonçalves / Agência O Dia

Após o acidente, o prefeito se dirigiu ao Centro de Operações Rio para acompanhar a ação das equipes de atendimento e das concessionárias de serviços públicos. Interrogado sobre as causas do acidente, Paes disse: "Qualquer hipótese, nesse momento, é mera especulação".

Bombeiros foram acionados ao local e contam com o auxílio de um helicóptero para socorrer as vítimas. Populares também ajudaram inicialmente no socorro. Pelo menos três carros foram atingidos pela estrutura metálica e vítimas estariam presas as ferragens. Equipes da Lamsa também estão no local e a Defesa Civil foi acionada.

A concessionária informou que imagens que monitoram a via serão analisadas para verificar a dinâmica do acidente. O caminhão estaria com a caçamba em pé e teria atingido a estrutura da passarela. A passagem de veículo de carga na via é proibida em dias úteis, das 6h às 10h e das 17h às 20h, em ambos os sentidos.

O chefe executivo do Centro de Operações Rio, Pedro Junqueira, pediu que os motoristas evitem a via expressa e optem pelas autoestradas Lagoa-Barra e Grajaú-Jacarepaguá e Alto da Boa Vista. A Guarda Municipal enviou batedores para as saídas 4 e 5 para desobstruir o trânsito e liberar a passagem no local para as equipes de atendimento.

Táxi foi esmagado após ser atingido por passarela da Linha AmarelaLeitor Clébio Junior

Segundo o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, "o acesso da Linha Amarela na Avenida Brasil e na Linha Vermelha estão abertos para o motorista que segue no sentido Barra, mas ele é obrigado a sair em Bonsucesso. Quem está no trecho de Jacarepaguá, pode acessar a Linha Amarela no sentido Centro, mas é obrigado a sair da via na altura da Avenida Dom Hélder Câmara".

De acordo com o secretário, a via encontra-se aberta neste trecho para que o trânsito destas regiões seja "irrigado". A Avenida Dom Hélder Câmara, no Engenho de Dentro, e a Avenida dos Democráticos, em Bonsucesso, estão recebendo grande fluxo de veículos. Osório garante que a Prefeitura está montando um esquema de trânsito para aquela região.

A Avenida Ayrton Senna, que liga a Barra da Tijuca à Linha Amarela, está congestionada a partir da Vila do Pan, no sentido Jacarepaguá. Na Estrada dos Bandeirantes, motoristas encontram lentidão no trecho da Cidade de Deus, em ambos os sentidos. No trecho da Taquara ao Campinho, motoristas encontraram dificuldades. Na região, a Prefeitura realiza obras da Transcarioca e o trânsito tem pontos de retenção em ambos os sentidos.

Na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, os reflexos do fechamento da Linha Amarela ainda não podem ser percebidos. A via apresenta trânsito bom nos dois sentidos. O Alto da Boa Vista, que liga a Barra da Tijuca à Tijuca, também é uma boa opção ao motorista pois segue com o trânsito intenso.

Vítimas atingidas por passarela são socorridas por pedestres. Quatro pessoas morreramLeitor Clébio Junior

No trajeto entre a Barra da Tijuca e a Zona Sul, motoristas encontram apenas trânsito intenso. Não há dificuldades na Autoestrada Lagoa-Barra e no Elevado do Joá.

Segundo o Centro de Operações Rio, um plano de contingência foi acionado por conta do acidente na Linha Amarela. As ações da operação especial começaram assim que os operadores identificaram a ocorrência.

A CET-Rio deslocou operadores e disponibilizou painéis com mensagens informando o fechamento parcial da via e as rotas alternativas. Operadores orientam os motoristas nas ruas próximas à Linha Amarela. Agentes da Guarda Municipal foram mobilizados para realizar a escolta de veículos envolvidos na operação de socorro às vítimas. Os hospitais municipais Souza Aguiar, Miguel Couto e Lourenço Jorge receberam reforço de efetivo para atender os feridos.

Para auxiliar no trabalho de retirada da passarela e a liberação do trecho da Linha Amarela foi acionado um super guindaste. A Prefeitura já solicitou à Rio Ônibus e a Fetranspor para implementar itinerários alternativos das linhas que passam pela via. O Centro Integrado de Comando e Controle do Governo do Estado também foi acionado para dar apoio no trabalho de resgate e perícia do local.

A Defesa Civil realiza vistorias no ponto do acidente. O Centro de Operações Rio está com a Sala de Crise em funcionamento coordenado as ações com todos os órgãos operacionais da Prefeitura do Rio envolvidos.

Você pode gostar