Por thiago.antunes

Rio - A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro manteve a decisão de primeira instância que condenou a deputada estadual Maria Inês Pandeló (PT) à suspensão de seus direitos políticos pelo período de cinco anos. A deputada também está proibida de contratar com o Poder Público e de receber incentivos, benefícios fiscais e creditícios por cinco anos.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, a deputada se apropriava de parte dos salários de seus assessores parlamentares. Em sua defesa, Inês Pandeló alegou que os funcionários, de livre e espontânea vontade, doaram parte de seus vencimentos com fim filantrópico. Os desembargadores decidiram que a deputada terá de devolver as verbas retiradas dos salários dos assessores. 

Você pode gostar