Justiça impede a mudança de nome do Copacabana Palace

Liminar é concedida pela juíza da 9ª Vara de Fazenda Pública. Vereador pede o tombamento do nome do hotel

Por paulo.gomes

Rio - A juíza da 9ª Vara de Fazenda Pública, Gisela Guida de Faria, concedeu nesta quinta-feira uma liminar que impede o grupo Orient Express de mudar o nome do Hotel Copacabana Palace. A decisão é válida até o julgamento da ação popular que pede a manutenção do nome original. Caso seja descumprida esta determinação, o operador do hotel será multado em R$ 500 mil. A liminar foi dada dentro de uma ação popular impetrada na semana passada pelo empresário Omar Resende Peres.

Fachada do Copacabana PalaceMárcio Mercante / Arquivo

O hotel passaria a se chamar Belmond Copacabana Palace em todos os documentos, notas fiscais, toalhas, pratos e copos usados no dia a dia. A exceção ficava para a fachada do hotel, que é tombada, onde o letreiro não poderia ser alterado. Belmond será o novo nome do braço hoteleiro do Orient, escolhido depois de uma pesquisa mundial que mostrou que a grande maioria dos entrevistados associava a marca à sua frota de trens de luxo, e não à linha de hotéis sofisticados, do qual fazem parte, além do hotel carioca, o Cipriani de Veneza e o Ritz de Madri, entre outros.

Também nesta quinta-feira, o vereador Dr. Jorge Manaia apresentou na Câmara Municipal do Rio um Projeto de Lei propondo o tombamento do nome Copacabana Palace.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia