Por paulo.gomes

Rio - Dimas Vitalino do Carmo, o motorista do ônibus alimentador do BRT Transoeste da linha 854AA (Campo Grande x Ilha de Guaratiba), que no último dia 24 de março atropelou seis pessoas, matando três crianças, em Guaratiba, Zona Oeste, afirmou que "merecia morrer" por conta do acidente. Ele responderá por homicídio culposo e lesão corporal.

Ônibus atropela seis pessoas%2C entre elas cinco crianças%2C e deixa vítimas fataisFoto%3A José Pedro Monteiro / Agência O Dia

"Eu merecia morrer (por causar o acidente). Minha ficha não caiu. Nunca tive isso, nunca tive nenhum acidente, nunca matei ninguém. Toda a minha dor é a dos pais. Eu sinto dor no coração, porque não tem volta", disse em entrevista à Rede Record.

De acordo com o motorista, ele passou mal no momento do acidente em que Érica Macedo dos Santos, de 6 anos, Melyssa Farias Areis, de 11, e Mariana Ferreira Augusto, de 10, foram mortas. "Eu tive um mal súbito, apaguei. Quando acordei saí assustado do ônibus e sentei na calçada".

De acordo com Dimas, que tem 24 anos de profissão, a Estrada do Mato Alto, local do atropelamento, é uma via bastante perigosa.

"Se eu tivesse em 40, 45km naquele momento era muito. A pista da Estrada do Mato Alto é perigosíssima", afirma.

Você pode gostar