Por paulo.gomes

Rio - A Divisão de Homicídios (DH) pediu a prisão temporária de quatro pessoas acusadas de matarem Janaína Silva dos Santos em fevereiro deste ano, na Vila da Paz, no Itanhangá, Zona Oeste do Rio. Ela foi morta com um corte na jugular, teve o corpo amarrado, ensacado, carregado em um carrinho de mão e jogado num terreno próximo do local do crime. Ricardo Oliveira Mariano, conhecido como Cadinho, Sander Rogers do Nascimento, o Roger, Paula Ramos Leandro Fernandes de Oliveira e uma menor são os principais suspeitos.

Câmeras da região mostram Roger empurrando o carrinho acompanhado de três mulheres. O corpo foi encontrado pela PM dia 26 de fevereiro. Segundo a perícia, ele já estava em estado de decomposição e indicava que estava ali há pelo menos quatro dias.

Janaína teria sido morta dentro do apartamento de Roger, de quem era namorada, e onde costumava ficar. Para não deixar vestígios, os criminosos lavaram o apartamento. No entanto, a perícia feita no local com luminol constatou que havia sangue no quarto. As amostras foram colhidas e levadas para Instituto de Pesquisa e Perícias Genética Forense (IPPGF), o laboratório de DNA da Polícia Civil, para saber se o sangue é de Janaína.

"Ainda não sabemos o motivo do crime, o que continua sendo investigado. Mas todos os que participaram desse assassinato estão identificados e com a prisão pedida. Após jogar o corpo no terreno, Roger ainda ficou um tempo ali", disse o delegado-assistente da DH, Alexandre Herdy.

Você pode gostar