Maré tem primeira morte desde chegada das Forças de Pacificação

Homem foi baleado na Vila do Pinheiro e morreu. Moradores dizem que ele foi vítima de bala perdida e protestam

Por tiago.frederico

Rio - Um homem foi baleado e morto na manhã deste sábado na Vila do Pinheiro, Complexo da Maré, Zona Norte da cidade. O homem, de cerca de 20 anos e conhecido como 'Parazinho' foi morto com um tiro no tórax. Segundo as Forças de Pacificação, o homem tentou escapar de uma patrulha e foi morto numa troca de tiros. Os moradores, contudo, dizem que ele foi atingido por uma bala perdida durante confronto entre militares e um grupo de bandidos.

Complexo da Maré teve sua primeira morte registrada desde que Força de Pacificação entrou no conjunto de favelasCarlos Moraes / Agência O Dia

De acordo com a Força de Pacificação, por volta das 8h, dois homens tentaram fugir de uma patrulha motorizada. Em seguida, eles foram abordados e começaram a atirar. Os militares revidaram.Ainda segundo os militares,. um jovem identificado apenas como Jeferson, 20 anos, foi atingido e outro conseguiu fugir, levando as armas. Com ele, foram encontrados um rádio comunicador e três cartuchos calibre 9 mm. O rapaz, segundo moradores, trabalhava em um lava-jato e era conhecido por “Parazinho".

Os militares relataram terem prestado os primeiros socorros ao ferido e acionaram o serviço do Samu, mas segundo eles, o rapaz não resistiu e morreu no local. A perícia chegou ao local por volta das 10h30min da manhã. Por volta das 9h40, o rabecão chegou ao local para retirar o corpo, mas foi obrigado a aguardar a perícia.

Segundo moradores, um carro passou pela patrulha da Força de Pacificação e não parou. Os militares dispararam contra o veículo e um dos disparos acertou o rapaz.

>>>GALERIA DE FOTOS: Forças Armadas ocupam o Complexo da Maré

Esta é a primeira morte registrada no Complexo da Maré em confronto desde a chegada das Forças de Pacificação. De acordo com a Força de Pacificação, enquanto a tropa aguardava no local, houve um tumulto com alguns populares.

Revoltados com a morte, moradores da comunidade chegaram a fechar parcialmente a Avenida Brasil, no sentido Zona Oeste, mas foram dispersados pela polícia. Após, seguiram para a Linha Amarela, onde colocaram barricadas e atearam fogo, interditando uma faixa da pista sentido Barra da Tijuca.

População ficou revoltada e fez protestos na Avenida Brasil%2C Linha Amarela e Linha VermelhaCarlos Moraes / Agência O Dia

Os militares dispersaram os manifestantes, que seguiram para a Linha Vermelha, onde fecharam duas faixas da pista sentido Centro. Eles foram novamente dispersados pela polícia. Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, não há mais interdições na Avenida Brasil, Linha Vermelha e Linha Amarela.

Esta é a segunda morte no Complexo da Maré, desde que começou o processo de pacificação. No dia 30 de março, o adolescente de 15 anos Vinícius Guimarães foi morto durante uma confusão na Rua Evanildo Alves, após ser baleado por um traficante conhecido como Caveirinha. Outros dois adolescentes ficaram feridos na confusão entre jovens das favelas Nova Holanda e Baixa do Sapateiro, no Complexo da Maré.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia