Paes diz que apenas 177 famílias da 'Favela da Telerj' aceitaram ajuda

Segundo o prefeito, famílias que não se cadastraram podem procurar programas como o Minha Casa Minha Vida

Por tiago.frederico

Rio - O prefeito do Rio Eduardo Paes disse, na manhã deste sábado, que durante a desocupação do prédio da Oi, conhecido como "Favela da Telerj", apenas 177 famílias aceitaram ser cadastradas no programa de habitação da prefeitura, um total de mil pessoas, segundo ele.

As famílias que não se cadastraram, de acordo com o prefeito, podem procurar outros programas, como o Minha Casa Minha Vida. Paes disse que "não pode sair distribuindo casas para qualquer um". "Existe a prática de pessoas invadirem espaços privados e depois arrenderam para pessoas mais pobres e isso não pode ser tolerado", falou.

Sobre a compra do terreno para a construção de casas populares, o prefeito disse que a prefeitura já tinha essa intenção, mas que a Oi foi ambiciosa em relação ao valor do imóvel e que ambas não chegaram a um valor comum.

Paes afirmou que enviará a conta da desocupação do prédio para a Oi, pois, segundo ele, "a empresa deveria cuidar melhor do seu patrimônio".

LEIA MAIS:

Desalojados da 'Favela da Telerj' passam noite acampados na porta da prefeitura

Informe do Dia: Remoção poderia ter sido evitada se prefeitura tivesse comprado prédio

Em confronto, homem ficou cego e criança ainda está internada

Nesta manhã, Eduardo Paes participou da inauguração de uma das vias do BRT Transcarioca – corredor expresso que ligará a Barra da Tijuca à Ilha do Governador.

"A obra é um legado das obras da Copa que irá ficar para a população", disse o prefeito, que completou: "Temos que olhar para o que está sendo feito nas cidades e não reclamar sobre a falta de estádios, porque são as obras que ficarão paraa população".

"Essa obra vai atender 450 mil passageiros por dia. Além de tirar 500 ônibus das ruas da cidade. É para isso que estamos fazendo o BRT", afirmou o prefeito.

Com um quilômetro de extensão e duas faixas, em sentido único em direção à Barra da Tijuca, a A Av. Engenheiro Hermano Cezar Jordão Freire passa por baixo da Ponte Estaiada Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales e se conecta com a Av. João Cabral de Melo Neto, atrás do Via Parque.

Em formato de “Y”, a via permite escoar todos os veículos que vêm de Jacarepaguá e da Linha Amarela em direção à Barra, passando por trás do Via Parque e do Barra Shoppping. Esse era um pedido antigo dos moradores da região, já que, com a via, o acesso será mais rápido sem cruzamento com sinal da Av. Ayrton Senna.

Eduardo Paes garantiu que cumprirá o prazo para conclusão do BRT Transcarioca, em junho. "A obra está praticamente concluída. Chega até o Galeão sim. Tem que chegar, temos que inaugurar por completo", disse.

Sobre o legado da obra, ele disse: "Ela é inspirada na Copa do Mundo, mas atende o subúrbio todo, a Zona Norte. Isso é uma integração muito importante para a cidade. Para Copa mesmo, acho que ela serve muito pouco. Mas a gente estabeleceu um prazo de Copa do Mundo, que tem ligação com Mobilidade da Copa de todo o Brasil, então é importante inaugurar", afirmou Paes, que completou: "O mais importante é que vai ter um monte de carioca que vai poder usar isso aqui antes, durante e depois da Copa".


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia