Por adriano.araujo

Rio - No Dia do Trabalhador, o Parque Madureira, uma consagrada área de lazer na Zona Norte, se transformou em uma boa opção para quem busca lugar no mercado de trabalho. Em evento da Secretaria municipal de Trabalho e Emprego, realizado entre 10h e 15h, mais de 3.700 vagas de emprego e de cursos profissionalizantes estavam disponíveis para cadastro, encaminhamento para entrevista e, até mesmo para contratação imediata. Também havia oportunidades para emissão de identidade e carteira de trabalho. O tempo de espera em fila única para todos os serviços chegou a duas horas e meia.

“Veio mais gente do que esperávamos, a fila começou a se formar às 7h da manhã. Mas está tudo correndo bem”, comentou o secretário municipal de Trabalho e Emprego, Augusto Ribeiro.
A doméstica Margarete da Silva, que aguardava para ser atendida, só reclamou do calor. “Depois desse tempo todo em pé no sol, uma senhora que estava na minha frente passou mal e desmaiou”, afirmou.

Secretaria municipal de Trabalho e Emprego montou uma tenda durante festividades do Dia do Trabalho%2C no Parque Madureira. Oferta de 3.700 vagas de emprego atraiu multidãoPaulo Carneiro / Agência O Dia

Jovem aprendiz

A maioria das pessoas saiu satisfeita. Caso de Janaína Viana, de 33 anos. Desempregada há mais de dez anos, ela foi contratada no próprio evento pela Personal Service para uma vaga de auxiliar de serviços gerais. “Estava esperando há muito tempo por essa oportunidade. Tem benefícios, tudo certinho. Estou bem feliz”, comemorou.

As empresas Elo, KFC e Bob’s também montaram estrutura de Recursos Humanos no local, enquanto outras empresas deixaram o cadastro para suas vagas a cargo da prefeitura. Roberto Francisco Benedito, 43, saiu do evento com entrevista marcada para vaga de auxiliar administrativo: “Mando currículos há quatro meses. Tenho esperança de conseguir esse emprego”.

As irmãs Talessa (à esquerda) e Tayara Mendes%2C que foram tirar carteira de trabalho%2C saíram do evento com pré-matrícula de cursos profissionalizantesPaulo Carneiro / Agência O Dia

Pessoas com idades entre 25 e 35 anos eram maioria no evento. Mas menores de idade também formavam um grupo bastante expressivo. Eles esperavam por vagas de Jovem Aprendiz e foram tirar a primeira via da carteira de trabalho. Foi o caso de Lucas Rodrigues, 17. “Pretendo seguir carreira militar, mas, se surgir uma vaga de aprendiz, eu vou”, disse.

Já as irmãs Talessa e Tayara Mendes, que foram tirar carteira de trabalho, acabaram se animando com os cursos profissionalizantes e saíram do evento com pré-matrícula nos cursos de porteiro/vigia e confecção de moda. “Vou fazer o curso em Bonsucesso, no Posto Escola, para ter alguma base para buscar o primeiro emprego”, comentou Talessa, que está no segundo ano do Ensino Médio.

Segundo a secretaria, 2.517 pessoas foram atendidas, sendo realizados 2.127 cadastros para as vagas de emprego, 152 inscrições para cursos e 238 emissões de carteiras. Ao todo, passaram pelo evento quatro mil pessoas.

"Estava esperando há muito tempo por essa oportunidade. Tem benefícios%2C tudo certinho. Estou bem feliz"%2C disse Janaína VianaAlessandro Costa / Agência O Dia

Pleno emprego muda atos da data

Era tradição. Durante décadas, o 1º de Maio foi marcado por protestos e reivindicações. Mas o comportamento do mercado de trabalho, aquecido e carente de profissionais, tem provocado transformações e dado um tom diferente à data.

Há pouco mais de dez anos, o cenário começou a mudar e as reivindicações passaram do desespero por mais oportunidades de trabalho aos pedidos por melhores condições e divisão de lucros.

Desde 2002, os níveis de desocupação foram caindo gradativamente até o chamado pleno emprego. Hoje, apenas 5% da população se encontra desempregada em março deste ano, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O País fechou o mês com 1,214 milhão de pessoas desocupadas, número 11,6% menor que em março de 2013.

Para o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, apesar da retração deste início de ano, em parte atribuída a Copa do Mundo e as eleições, esse freio não deve ser motivo para anunciar uma crise estrutural. “Ainda estamos em uma situação confortável em termos de emprego, os grandes efeitos já foram computados”, diz. Mais que isso, a ascensão da chamada classe média emergente abriu oportunidades de mercado que não voltarão a se fechar tão cedo.

No universo sindical, as reivindicações mudaram. Além de empregos, sindicalistas cobram do governo um pensamento sustentável, mirando o longo prazo. “As políticas de prazo curto podem acabar criando problemas conjunturais no futuro”, aponta João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical. Ainda há um desafio no horizonte. “Hoje precisamos superar essa expectativa de desemprego e cobrar as mudanças, que garantam principalmente a redução da rotatividade.”

Em Meriti, prêmios para corredores

?Mais de quatro mil pessoas aproveitaram a manhã do Dia do Trabalho, comemorado ontem, no Parque Madureira. O local foi palco de um grande feirão de empregos e qualificação profissional. Além dos postos de trabalho, muitos buscavam cursos técnicos e profissionalizantes e a emissão de documentos. Na Quinta da Boa Vista, os tradicionais descontos e gratuidades ao público também garantiram lotação máxima no domingo.

O sol tímido também atraiu cariocas e turistas à orla. Em Ipanema, a areia ficou tomada de banhistas. Na Biblioteca Parque da Rocinha, na comunidade da Zona Sul, uma multidão pode conferir a exposição ‘Ambulantes Ontem e Hoje’. Na mostra, imagens de ambulantes atuais da comunidade ficavam lado a lado com registros de vendedores feitos no início do século passado pelo fotógrafo Marc Ferrez.

Em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, moradores da cidade participaram da 6ª edição da Corrida do Trabalhador. Os primeiros colocados no percurso de 7,5 quilômetros receberam premiações pela conquista. Durante o dia, a Praça dos Três Poderes recebeu shows, atividades esportivas, recreativas e oficinas. As celebrações por lá, no entanto, não terminaram. No fim de semana, o local receberá shows gratuitos de pagode e funk.

Você pode gostar