Aliança ameaçada

Defesa de Michel Temer da aliança com PT foi bombardeada por dirigentes estaduais do PMDB

Por thiago.antunes

Rio - Vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB) passou por maus momentos ontem, na reunião com dirigentes estaduais do partido e integrantes das bancadas da Câmara dos Deputados e Senado.

Sua defesa de manutenção da aliança nacional com o PT foi bombardeada por, principalmente, representantes do Rio, Bahia, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Houve queixas quanto ao tratamento dado ao PMDB pelo governo federal e em relação ao comportamento dos petistas nos estados.

Reclamação

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Paulo Melo disse que apoia a reeleição de Dilma Rousseff, mas reclamou das críticas ao PMDB feitas por Lindbergh Farias.

Ameaça

Melo afirmou que poderia passar “de soldado da base a guerrilheiro do adversário”, numa referência à dissidência que apoia Aécio Neves.

Bronca

O poder de Jorge Picciani, presidente do PMDB-RJ, começa a incomodar muita gente no partido. O problema são as eventuais candidaturas dos filhos Leonardo e Rafael, ambos deputados, a, respectivamente, prefeito do Rio e presidente da Assembleia Legislativa.

Inimigo íntimo

Domingo, Lindbergh irá a Paracambi. O prefeito de lá, Tarciso Pessoa, é do PT, mas apoia Pezão.

Repórter de esportes

Um repórter ligou para um jornal de Itabuna (BA) e pediu para falar com um colega especialista em esportes. Queria informações sobre Sammir, o filho da terra convocado pela seleção da Croácia. Um jornalista foi ao telefone e, solícito, disse que fazia esportes: “Corro na esteira todos os dias.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia