Time sub-17 do Alemão vence Carioca, mas pode não disputar Brasileiro

Equipe depende de 'vaquinha' para viajar e realizar sonho de disputar torneio nacional

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Eles estão a um passo de realizar o grande sonho de suas vidas,mas, para chegar lá, vão precisar de pelo menos R$ 10 mil. Campeão carioca no mês passado, o time de 16 jovens do União Futebol Clube, no Complexo do Alemão, foi classificado para disputar, em outubro, o Campeonato Brasileiro na categoria sub-17 em Brasília. Sem patrocínio, o time prioriza a ‘vaquinha’ em vez do treino para conseguir viajar.

Um dos técnicos do União, João Luiz Araújo, o Geleia, 41 anos, busca doadores. “Qualquer ajuda será bem-vinda. Vamos mobilizar moradores, empresas, rede social e até mesmo o governo, se preciso”, diz João.

Craques do Estado do Rio priorizam arrecadar dinheiro para disputar título em Brasília%2C quando deveriam estar treinando para fazer bonitoUanderson Fernandes / Agência O Dia

No mesmo campeonato carioca do ano passado, o time do Complexo do Alemão venceu o título, mas não viajou por falta de dinheiro. “Foi a maior frustração da minha vida dizer para esses meninos que não tínhamos renda para viajar.”

O União Futebol Clube nasceu de uma brincadeira de amigos, em 1990. No início, era apenas uma alternativa de lazer na comunidade, mas, com o passar dos anos, o trabalho foi ficando sério. “O União passou a ser o lugar onde as pessoas mudaram de vida, de ideia. Já salvamos muitos jovens do tráfico com o futebol”, explicou um dos fundadores, João Augusto Barbosa, 51.

O time nunca teve patrocínio. O uniforme é feito com doação de comerciantes, e o transporte, por técnicos. “Na final do carioca deste ano, paguei R$ 300 para alugar um ônibus e levar a torcida. Quando dá, coloco a metade no meu carro e levo”, contou João Luiz.

Com mais de 20 anos, o União já formou muitos craques. Os mais recentes são Victor Santos, ex-Botafogo e atual CSKA de Moscou, na Rússia, e Erik Breno, que joga como lateral-direito nos juniores do Botafogo.

No atual sub-17 do União, dos 16 jogadores, quatro estão em grandes times. Max Ângelo, 16, é um dos talentos. Há nove meses é volante no Vasco. “Nem acreditei quando fui convidado para o Vasco”, conta ele, que já foi campeão carioca no mesmo clube, no futsal.

Clube está em busca de nova sede

Com mais de 200 pessoas filiadas ao União Futebol Clube, o time está àprocura de uma nova sede. Há seis anos, os fundadores receberam a doação de um imóvel próximo ao campo de treino, no loteamento Nova Brasília. No local, os mais de 20 troféus do clube dividem espaço com um armário pequeno de aço, onde as bolas e alguns pertences ficam guardados. O espaço é tão pequeno que os uniformes nem ficam mais lá. “Quem sabe não aparece outro doador?”, declara o fundador João Augusto.

A quadra onde o time treina precisa de manutenção. O alambrado está caindo e nas traves enferrujadas falta rede. “Os moradores construíram a quadra sem apoio de nenhuma empresa”, conta João Luiz. No União, há escolinhas de várias categorias: do sub-8 ao sub-20 até o time dos veteranos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia