Por julia.sorella
Policial da Divisão de Homicídios em frente ao prédio onde morava o empresárioSeverino Silva / Agência O Dia

Rio - A perícia localizou dois projéteis de arma de fogo de pequeno calibre no corpo do empresário Stefan Krause, morto em uma cobertura em Ipanema, Zona sul do Rio, pela namorada. Segundo a polícia, os projéteis e a arma apreendida no apartamento vão ser encaminhados para o exame de confronto balístico, que poderá comprovar se as balas foram realmente disparadas da arma encontrada no local do crime. 

A namorada do empresário, Juliana Fernanda da Silva, de 30 anos, morreu de politraumatismo, segundo o laudo médico.Ela caiu da cobertura — no 5º andar, a cerca de 40 metros de altura — sobre a fiação da rede de luz e foi socorrida, mas não sobreviveu. Os corpos de Stefan e Juliana já foram necropsiados no IML e aguardam a liberação da família para serem sepultados. 

Segundo o adjunto da Delegacia de Homicídios da Capital, delegado André Barbosa, as investigações estão em andamento e ainda serão ouvidas outras testemunhas e funcionários do prédio onde o empresário morava. A polícia pediu as câmeras de segurança situadas nos prédios vizinhos para serem analisadas.

Entenda o caso

Juliana e Stefan Krause foram encontrados mortos, na manhã de sábado, por moradores do prédio 288 na Rua Barão da Torre, em Ipanema. Stefan, de 50 anos, empresário do jogador Dankler, do Botafogo e do Danilo do Vasco, foi morto no apartamento 501 por Juliana F. Silva, de 30 anos, que caiu da cobertura após o crime.

LEIA TAMBÉM:

Namorada mata empresário de futebol e se joga de cobertura em Ipanema

De acordo com o zelador do prédio em frente, que não quis ser identificado, o casal tinha uma relação turbulenta. O zelador disse ainda que o casal discutiu na sexta-feira à noite. Ele disse que Stefan chegou a deixar uma mala com roupas dela na portaria e saiu. Ao voltar, teria perguntado se a mulher ainda estava em casa.

O mesmo zelador contou que viu Juliana se debruçar no parapeito da cobertura e chegou a pedir para que ela não se jogasse. O corpo de Juliana foi amortecido por fios da rede eletrétrica. Ela foi socorrida, mas morreu a caminho do hospital Municipal Miguel Couto.

O amigo do empresário, Steve Panapoulous, que trabalhava com Stefan, contou que a vítima era uma pessoa reservada e que o relacionamento do casal era muito instável. Segundo Panapoulous, eles já tinham rompido várias vezes. Steve disse que Stefan certa vez comentou que Juliana era "estranha".

"Não consigo entender o que houve. Ele era uma pessoa sensacional" disse o amigo do empresário. Ainda segundo Panapoulous, Stefan tinha acabado de chegar há dois dias da Alemanha, onde ia sempre para visitar a mãe.

O crime ocorreu às 6h40 e a PM foi chamada pouco depois das 7h30. O Corpo de Bombeiros enviou uma equipe de paramédicos na tentativa de reanimar os dois, sem sucesso. O local foi isolado para os trabalhos da perícia.


Você pode gostar