Beira-Mar: denúncias sobre fuga à Justiça

Julgamento de traficante pode ser transferido

Por thiago.antunes

Rio - Bastou o juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, marcar o júri do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, para a Justiça começar a receber informações de possíveis planos para resgatar o criminoso na audiência do dia 26 de agosto, às 10h, no Fórum de Caxias. Beira-Mar é réu em processo sobre a morte do amante de uma namorada do bandido, em 1999.

Com as novas informações, que chegaram pelo Disque-Denúncia (2253-1177), é possível que o julgamento seja transferido para o Tribunal de Justiça, no Centro do Rio. Neste endereço, há mais infraestrutura, como carceragem no andar subterrâneo. Ainda existe a possibilidade de o preso chegar de helicóptero, se for necessário. Porém, no mês passado, os desembargadores da 4ª Câmara Criminal decidiram que a audiência deveria acontecer mesmo em Duque de Caxias, principal reduto do traficante Beira-Mar.

Se o julgamento for mesmo na cidade da Baixada Fluminense, como a coluna ‘Justiça e Cidadania’ publicou ontem, o tribunal já prepara o maior esquema de segurança dos últimos tempos. O aparato deve contar com policiais do 15º BPM (Duque de Caxias) e de policiais lotados no departamento de segurança da corte. Preso na unidade federal de Catanduvas, no Paraná, Beira-Mar, quando esteve foragido, ganhou o apoio das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia