'Negão da Doze', suspeito de chefiar tráfico no Cajueiro, é preso pela polícia

Ainda de acordo com as investigações, ele também liderava o comércio de drogas no Faz Quem Quer, Terço, Congonha, Quieto e Vaz Lobo

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Policiais da 32ª DP (Taquara) prenderam, nesta quarta-feira, Claudemir Silva Paixão, o 'Negão da Doze', 47 anos. Ele é apontado como chefe do tráfico de drogas das comunidades Congonha, Quieto, Terço, Cajueiro, Faz Quem Quer e Vaz Lobo, todas na Zona Norte do Rio. O Disque-Denúncia oferecia R$ 2 mil por informações que levassem à prisão do suspeito.

Suspeito foi preso em JacarepaguáDivulgação

O criminoso é apontado como um dos responsáveis pelo homicídio do traficante Márcio Amaro de Oliveira, o Marcinho VP do Morro Dona Marta, em 2003, e pelas tentativas de invasão ao Morro da Serrinha, em Madureira.

De acordo com os agentes da unidade, eles chegaram ao criminoso, que estava em uma localidade conhecida como Portugal Pequeno, Jacarepaguá, através de informações. Claudemir estava foragido da Justiça desde 2010, após receber benefício de cumprir pena em regime semiaberto e não retornar ao sistema prisional.

De acordo com o Disque-Denúncia, em 2009, o suspeito recebeu o benefício de cumprir pena em regime semi-aberto, porém em fevereiro de 2010, saiu e não retornou ao sistema prisional. Condenado à 43 anos, por tráfico de drogas e furto qualificado, possui uma extensa ficha policial, pois há anotações contra ele desde 1986. Atualmente, existem quatro mandados de prisão contra ele, por tráfico de drogas, homicídio e seqüestro.

Antes de migrar para jacarepaguá,  a polícia investigava a presença dele no Cajueiro. Ele estaria de lá comandando as comunidades citadas, e controlando a distribuição de água, gás, gatonet, gatovelox, além de cobrar taxas aos mototaxistas locais.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia