Familiares de jovem morta em Costa Barros prestam depoimento

Parentes confirmaram que a jovem estava grávida de aproximadamente três meses

Por bferreira

Rio - Familiares de Francielen da Silva Gomes, de 22 anos, morta hoje à tarde, na Favela da Quitanda, em Costa Barros, durante uma operação de policiais do 41º BPM (Irajá), prestaram depoimento na 39ª DP (Pavuna), onde o caso foi registrado. Parentes confirmaram que a jovem estava grávida de aproximadamente três meses.

Eles ainda contaram que não conheciam Waldenir Rangel, 37, marido dela, que foi baleado no braço, tórax e costas. Waldenir foi atendido na UPA de Costa Barros e depois transferido para o Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador.

A polícia teria feito operação na comunidade para tentar recuperar uma carreta de cigarros. PMs afirmam que ao chegar na Quitanda, foram recebidos a tiros que partiram de dentro de uma Fiorino branca, onde estavam Waldenir e Francielen. O rapaz estaria armado com uma pistola.

A PM afirma ainda que o veículo onde estava o casal foi roubada desde o dia 6 de junho. Segundo informações, Waldenir tinha passagem por formação de quadrilha e também por roubo.

De acordo com parentes, Francielen trabalhavam como manicure e morava na Quitanda há dois meses. Ela deixou dois filhos: um de cinco e outro de dois anos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia