Suspenso o júri de Beira-Mar em Caxias

Decisão vale até pronunciamento do STJ

Por thiago.antunes

Rio - A desembargadora Nilsa Bittar, da 3ª Vice-Presidência do Tribunal de Justiça, cancelou o julgamento do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que ocorreria dia 26 de agosto na 4ª Vara Criminal, que também funciona como tribunal do júri, em Duque de Caxias.

A medida foi com base em pedido do Ministério Público (MP) que, como O DIA publicou ontem com exclusividade, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) pedindo que a audiência seja transferida de Caxias para o fórum do Rio. Isso porque haveria plano de resgate do criminoso e os jurados estão com medo de participar do Conselho de Sentença. A decisão de Nilsa Bittar valerá até o STJ se pronunciar sobre o caso.

Audiência com o traficante Fernandinho Beira-Mar poderá ser transferida para o Fórum do Rio%2C como medida preventiva contra resgateFernando Souza / Agência O Dia

Nesta quarta-feira, o advogado de Beira-Mar, Maurício Neville, se disse surpreso com a estratégia da Assessoria de Recursos Constitucionais da Procuradoria-Geral de Justiça. “O Ministério Público não quer julgar o caso. Meu cliente vai a qualquer fórum. Queremos que ele seja julgado”, afirmou Neville. Ele acrescentou que se manifestou na Justiça contra o MP sobre o cancelamento do julgamento. Ele vai entrar ainda com habeas corpus pela liberdade de Beira-Mar. O advogado esteve com Beira-Mar no presídio de Catanduvas, no Paraná, discutindo a defesa dele no júri.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia