UPPs na mira da oposição

Lindberg, Crivella e Garotinho condenam as unidades, mas Pezão promete ampliar programa

Por thiago.antunes

Rio - Carro-chefe do governo Sérgio Cabral/Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) se transformaram no principal alvo de crítica dos candidatos ao governo do Rio Marcelo Crivella, do PRB; Lindberg Farias, do PT; e Anthony Garotinho, do PR.

Nesta segunda-feira, Crivella e Lindberg aproveitaram a visita a São João de Meriti, na Baixada, para condenar as UPPs. Eles reclamaram do aumento da criminalidade e da diminuição de PMs na região. Garotinho foi um dos primeiros a criticar as UPPs: em maio, em entrevista ao DIA, ele disse que as unidades não passam de “latões instalados nas comunidades”.

Em visita nesta segunda à UPP de Vila Kennedy, na Zona Oeste, o governador e candidato à reeleição Pezão prometeu levar as unidades para outras regiões do estado. Ele ressaltou o que chamou de “pacificação” a partir da “ocupação de territórios”.

Acompanhado de Liliam Sá%2C do Pros%2C candidata ao Senado%2C o ex-governador Garotinho fez nesta segunda campanha pelas ruas do centro do RioSaulo Stefano / Agência O Dia

Líder nas pesquisas de intenção de voto, Garotinho deixou de lado nesta segunda suas críticas às UPPs, fez caminhada pelo centro do Rio e almoçou no Restaurante Popular, na Central do Brasil, pagando R$ 1 pela refeição. “O restaurante é muito simples e barato porque a refeição não custa R$ 1. A população paga R$ 1 e o governo paga a diferença”, explicou ele, prometendo construir mais 40 restaurantes em todo o estado. O dinheiro, disse, sairá do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. Hoje, são 16 restaurantes desse tipo, iniciados em 2000, quando Garotinho governou o Rio.

A quase 30 quilômetros dali, em São João de Meriti, Lindberg prometia aumentar o contingente de PMs na região, sem acabar com as UPPs. “Diminuíram o policiamento na Baixada. Houve migração da violência também para São Gonçalo, Niterói e interior. Vamos reforçar os batalhões para melhorar o policiamento nos bairros”, prometeu. Crivella reforçou as críticas: “A UPP é uma conquista nossa, mas ela precisa vir para todas as áreas ocupadas pelo narcotráfico, não pode ser uma política só da Zona Sul do estado.” Ele também prometeu que seu governo será livre de homofobia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia