Nova derrota

A 15ª Câmara Cível negou os recursos de dois ex-subsecretários estaduais de Saúde do governo Rosinha Garotinho

Por bferreira

Rio - Em plena campanha eleitoral, uma má notícia para Garotinho, candidato do PR ao governo. A 15ª Câmara Cível negou os recursos de dois ex-subsecretários estaduais de Saúde do governo Rosinha Garotinho.

Os desembargadores decidiram, por unanimidade, manter as condenações de Alcione Maria Mello de Oliveira Athayde —prima de Garotinho — e Itamar Guerreiro. Ambos foram considerados culpados por fraudes na contratação de uma ONG, a Procefet, para o programa ‘Saúde em Movimento’.

Dinheirão

A sentença de primeira instância determinou que eles e outros réus que viessem a ser condenados seriam responsáveis pelo ressarcimento do prejuízo causado, R$ 234 milhões.

Escárnio e menosprezo

Relator do recurso, o desembargador Celso Ferreira Filho foi duro. Para ele, o uso do dinheiro público no caso converteu-se em “escárnio e menosprezo à pessoa humana”.

Ainda réus

Os condenados e outras pessoas, entre elas, Gilberto Cantarino, ex-secretário de Saúde, foram denunciados em processo criminal e chegaram a ser presos.

Ilícito seria lícito

O deputado estadual Edson Albertassi (PMDB) tentou, até a última hora, emplacar emenda no novo Código de Ética da Assembleia Legislativa. Ele queria que a compra de bens que caracterizasse enriquecimento ilícito não fosse — acredite! — considerada quebra de decoro parlamentar. A proposta, ufa, foi derrotada.

Em dúvida

Em tese, o deputado Wagner Montes (PSD) deveria apoiar Pezão para o governo e Cesar Maia para o Senado. Mas o campeão de votos diz que não escolheu seus candidatos. Também não revela sua opção para presidente.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia