Franco-argelino acusado de chefiar máfia dos ingressos deixa a prisão

Fofana foi beneficiado por habeas corpus concedido pelo STF e saiu do Complexo de Gericinó nesta sexta-feira; mais nove reús devem ser libertados nesta tarde

Por paloma.savedra

Rio - Acusado de chefiar a 'máfia dos ingressos', que vendia ilegalmente entradas para os jogos da Copa do Mundo, o franco-argelino Mohamed Lamine Fofana deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, nesta sexta-feira. Fofana foi libertado logo depois que a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) recebeu o alvará de soltura. Fofana e mais 10 acusados de integrar a quadrilha foram beneficiados por habeas corpus concedido nesta quarta-feira pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello.

Acusado de chefiar o bando%2C Fofana deixou a prisão nesta sexta-feira%3B franco-argelino teria montado esquema que funcionava desde a Copa de 2002 na ÁsiaFoto%3A Tiago Ramos / Agência O Dia

Eles estavam presos desde julho. No último dia 5, o ministro já havia concedido liberdade provisória ao inglês Raymond Whelan (acusado de ser o principal fornecedor de ingressos à quadrilha), e o benefício foi estendido aos demais supostos integrantes da quadrilha, que são Marcelo Pavão da Costa Carvalho - libertado na quinta-feira -, Alexandre da Silva Borges, Antônio Henrique de Paula Jorge, Sérgio Antônio de Lima, Júlio Soares da Costa Filho, Fernanda Carrione Paulucci, Ernani Alves da Rocha Junior, Alexandre Marino Vieira e Ozeas do Nascimento, além do franco-argelino. Os réus devem sair do Complexo Penitenciário de Gericinó ainda nesta sexta-feira. 

Leia mais: Ministro estende a outros acusados liminar concedida a Whelan

Leia mais: Tubarão da máfia dos ingressos deixa prisão

"Estávamos concentrados em obter a liberdade dos clientes. Agora, teremos mais calma para avaliar o processo e a estratégia de defesa com mais calma", declarou o advogado Rafael Kullmann, que representa Lamine Fofana.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia