Testes da Operação de Verão começam mais cedo na orla

Depois de onda de roubos, praias ganham reforço no policiamento em ação preventiva

Por daniela.lima

Rio - Uma semana depois da bateria de assaltos nas praias do Arpoador e Leblon, a Operação de Verão teve ontem seu primeiro dia de testes. O esquema aumentou o número de policiais militares no patrulhamento da orla para mais de 150 homens, entre agentes da Polícia Militar, do Batalhão de Choque e alunos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), antecipando a estratégia pensada para os dias mais quentes. 

Agentes da Polícia Militar%2C do Batalhão de Choque e alunos do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças anteciparam a estratégia pensada para os dias mais quentesMaíra Coelho / Agência O Dia


Quem caminhava pelo calçadão do Arpoador tinha a impressão de ter ingressado em uma área militar. Um blindado do Choque podia ser visto já na cancela de entrada do lugar. Mais à frente, havia duas viaturas da PM e três policiais circulando em motos da patrulha móvel. Perto das 15h, um ônibus desembarcou cerca de 20 policiais perto da Pedra do Arpoador. Um furgão da Guarda Municipal também estava parado no local.

Há uma semana, porém, o cenário era bem diferente. “Domingo, dia 25, estava complicado de sair. Tinha muito bandido nas ruas e pouca polícia”, reclamou Carlos Alberto Avellar, de 69 anos. Depois dos assaltos, pelo menos cinco pessoas registraram queixas na 14ª DP (Leblon), 13ª DP (Copacabana) e Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat). Até o fim da tarde, dez suspeitos tinham sido apreendidos.

Mesmo com policiamento ostensivo na orla durante todo o dia de ontem, um menor de idade arriscou roubar uma jovem nas areias de Ipanema. Ele avançou sobre o colar da mulher, que estava no Posto 10, acompanhada do namorado. O rapaz correu para alcançar o assaltante e conseguiu capturá-lo. Policiais prenderam outros seis menores que davam cobertura a ele. Os sete foram levados à 14ª DP.

O comandante do 23º BPM (Leblon), tenente-coronel Marcus Vinicius Amaral, contou que o trabalho agora é preventivo: “No outro domingo, prendemos muita gente. A partir de hoje, a ideia é evitar a repressão e garantir a segurança.”

Os frequentadores da orla ouvidos pelo DIA aprovam as medidas preventivas. “Mesmo no inverno faz calor e a praia enche muito. Com isso, os assaltantes vêm em peso. É melhor que esse reforço comece logo”, comentou o estudante Vinicius Burity, de 20 anos. Sua namorada, Erika Soares, 19, acredita que é preciso estar sempre alerta, independentemente da presença de policiais nas ruas: “Mesmo com um policiamento maior, não dá para dar mole. Tem que escolher muito bem o lugar em que ficar na areia e prestar atenção no movimento.”

Ventania deixa bairros sem luz

Um a forte ventania no início da noite de ontem deixou alguns bairros da cidade e parte de Nova Iguaçu sem luz. Segundo a Light, foram atingidas áreas de Copacabana, Flamengo, Barra da Tijuca, Ipanema, Jacarepaguá, Penha, Realengo e Santa Cruz, que ficaram sem energia elétrica. Em razão do problema, a prefeitura informou que alguns sinais de trânsito destes bairros ficaram apagados.

De acordo com a Light, a queda de energia aconteceu principalmente porque a força dos ventos derrubou galhos de árvores nos fios da rede. Por isso, como medida de segurança, os circuitos foram desarmados.

Desde o início da noite, equipes da empresa foram enviadas às ruas para restabelecer o fornecimento de energia. Comuns em época de eleição, cartazes de candidatos também foram espalhados pelas ruas com a ventania.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia