Ação do Detro termina com 112 ônibus apreendidos

Fiscais checam condições da frota intermunicipal no Grande Rio e Interior

Por thiago.antunes

Rio - O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) realizou, nesta segunda-feira, uma megaoperação focada na frota regular de ônibus intermunicipais a fim de checar as condições de tráfego dos veículos. No total, 15 fiscais percorrem terminais do Grande Rio e Interior e a ação, que teve início às 6h e prosseguiu até a tarde desta segunda-feira, contabilizou 112 ônibus recolhidos e mais 29 somente infracionados, num total de 156 multas aplicadas.

No Rio, a fiscalização recolheu no Terminal Américo Fontenelle (Central) um ônibus da Trel sem selo e elevador para portador de necessidades especiais defeituoso; três da Caravele, um por limpador de para-brisa e luz de ré inoperantes além de dupla função do motorista sem autorização do Detro, outro sem selo, luz de ré apagada e dupla função sem autorização e o terceiro por falta de selo; um da Reginas por lanterna apagada e dupla função do motorista; um da Nilopolitana por falta de selo e CAT, além de aplicar infração em um veículo da Jurema por dupla fincão e num outro da União por roleta em desacordo com o exigido pelo Detro. Na Candelária, um ônibus da Rio Ita foi para a garagem pois estava sem CAT e com dupla função sem autorização.

Na Rodoviária Novo Rio, houve o recolhimento de sete ônibus da Cidade do Aço por falta de selo; de um da Macaense por limpador de para-brisa inoperante; de um da Costa Verde por para-brisa trincado e cinco da Util por falta de selo e CAT. Na Barra da Tijuca, no Terminal Alvorada, a Costeira teve um veículo recolhido sem CRLV, sujo e com pneus lisos, outro recolhido por pneus lisos, veículo sujo e dupla função sem autorização; a Cruzeiro do Sul teve dois recolhimentos, um sem selo, limpador de para-brisa inoperante e com dupla função sem autorização, enquanto o outro estava com luzes externas inoperantes, pneus lisos, limpador de para-brisa com defeito, CRLV em atraso, selo rasurado e com dupla função sem autorização; na Vera Cruz dois ônibus foram recolhidos, sendo um por para-brisa trincado e luz externa inoperante e o outro por luz externa inoperante e pneus lisos.

Em Campo Grande, quatro ônibus da Ponte Coberta foram recolhidos, sendo dois por limpador de para-brisa inoperante, um por elevatória de portador de necessidades especiais com defeito e o último por para-brisa trincado; quatro da Real Rio, um por limpador de para-brisa e cigarra inoperantes, um por limpador de para-brisa inoperante e farol quebrado, um por limpador de para-brisa inoperante e o último por para-brisa trincado, além de dois veículos infracionados por descumprimento da portaria de proibido fumar e falta do quadro de tarifas; seis da Expresso Mangaratiba, sendo três por falta de vistoria anual, um por limpador de para-brisa inoperante, um por luzes de ré e freio inoperantes e o último sem vistoria e selo vencido; e, na Mauá houve o recolhimento de dois ônibus por CRLV e selo vencidos e uma infração por descumprimento da portaria de proibido fumar.

No Terminal João Goulart, em Niterói, foram recolhidos dois veículos da Estrela um por limpador de para-brisa inoperante e outro por extintor de incêndio vencido; dois da Galo Branco por limpador de para-brisa inoperante e pneu liso, além de uma infração por falta do aviso de é proibido fumar; dois da ABC por para-brisa inoperante e selo vencido; um da Mauá por selo vencido mais um infracionado por dupla função do motorista; dois da Nossa Senhora do Amparo por selo vencido e para-brisa trincado; um da Rio Minho por mau estado de conservação; três da Fagundes por limpador de para-brisa inoperante, um por para-brisa trincado e um sem selo; dois da Rio Ita sem selo e restrição a passageiro idoso, além de uma infração na Rio de Janeiro por dupla função do motorista.

Na Baixada Fluminense, no Terminal de Nova Iguaçu os fiscais retiraram de circulação dois ônibus da Evanil por CAT vencido, CRLV atrasado e dupla função do motorista, infracionando outros dois por dupla função do motorista sem autorização; três da Expresso Mangaratiba por CRLV e selo vencidos além de extintor vencido; um da Cidade do Aço sem selo; dois da Rio Minho por pneu liso; e um da Master por elevatória para portadores de necessidades especiais com defeito. Também foram infracionados um veículo da Costeira por dupla função do motorista sem autorização e um da Nossa Senhora da Penha por cigarra defeituosa.

Já em Duque de Caxias, a Limousine Carioca teve um carro recolhido por selo vencido e superlotação e outro infracionado por roleta em desacordo com a portaria do Detro. A Expresso Mangaratiba teve um ônibus recolhido sem selo, sem CRLV, roleta em desacordo e excesso de passageiros, um por CRLV atrasado, selo vencido, vidro trincado e roleta em desacordo, um por selo vencido, CRLV atrasado e roleta em desacordo, mais um por vidro trincado, selo vencido, CRLV em atraso e roleta em desacordo, além de um infracionado por superlotação e roleta em desacordo. E a Trel, dois veículos recolhidos um por má conservação e sem selo e o segundo sem selo e limpador de para-brisa inoperante.

Ainda em Caxias, a Jurema teve um recolhimento por vidro trincado e ônibus rodoviário sem cadeira de transbordo, enquanto a Trel teve três carros retirados de circulação por falta de selo e CAT, dupla função do motorista, vidro trincado e falta de selo. Também na Baixada Fluminense, no município de Japeri, um ônibus da Linave foi autuado por cigarra com defeito.

Na Região dos Lagos, houve recolhimento de dois ônibus da 1001 por iluminação inoperante e um da Rio Ita por selo vencido em Araruama; dois da 1001 por iluminação inoperante, selo vencido e falta do aviso de é proibido fumar, em Cabo Frio e de dois da 1001 por limpador inoperante, sem selo e falta do aviso de é proibido fumar em Arraial do Cabo. Em Rio das Ostras, a 1001 teve dois veículos recolhidos por farol apagado e dois infracionados pela falta de aviso de proibido fumar; na Macaense um ônibus foi recolhido por farol apagado e outro infracionado por falta de aviso de proibido fumar.

No Centro-Sul do Estado, no terminal de Arcozelo, um ônibus da Util foi infracionado por descumprimento do quadro de horários. Em Miguel Pereira, a Linave recebeu uma infração por descumprimento de itinerários e, em Vassouras, a Pedro Antônio foi autuada por falta de despachante e a Progresso por falta de aviso com o telefone da Ouvidoria do Detro. Em Resende, a Falcão e a Viação Penedo tiveram dois veículos apreendidos cada por falta de selo. No terminal de Barra do Piraí, a Viação Aparecida e a Barra do Piraí tiveram uma infração cada por falta do quadro de tarifas.

No município de Volta Redonda os fiscais recolheram às garagens um ônibus da Cidade do Aço sem selo, dois da Aparecida sem selo, um da Evanil por selo vencido, um da Util com lanterna queimada e outro Coletur pelo mesmo motivo, além de um último da São João Batista por mau estado de conservação. Em Barra Mansa, a Evanil teve um veículo recolhido sem selo, mesmo motivo para o recolhimento de um ônibus da Coletur, outro da Cidade do Aço e um último da Util, além da Falcão que também teve um veículo recolhido por selo vencido.

Em Campos, no Norte do estado, os fiscais retiraram de circulação quatro ônibus da 1001, por selo vencido, selo rasurado e dois por operarem linha não autorizada, além de infracionarem outros dois por atraso superior a 10 minutos; multaram três veículos da Rogyl por excesso de lotação, falta do quadro de tarifas e motor ligado com veículo parado; aplicaram infração em um ônibus da Campostur por excesso de passageiros e em mais um da Brasil por falta do quadro de tarifas.

Na mesma região, em Itaperuna, a São Cristóvão teve um veículo recolhido por selo vencido, enquanto a 1001 e a Brasil tiveram um ônibus retirado de circulação cada por falta de manutenção.

Entre as infrações encontradas estão documentação obrigatória vencida, operação de linha não autorizada, excesso de lotação, falta do quadro de tarifas, atraso superior a 10 minutos, equipamentos como faróis e lanternas quebrados, pneus lisos (“carecas”) e motor em funcionamento com veículo parado, entre outras.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia