Por thiago.antunes

Rio - Policiais do 17º BPM (Ilha do Governador) foram flagrados em escutas telefônicas negociando a venda de armas com traficantes do Morro do Dendê, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. Os PMs roubaram três fuzis que deveriam ser apreendidos e ligaram para criminosos do local. As gravações foram ao ar no 'Fantástico', na TV Globo, neste domingo.

De acordo com as investigações, o coronel Dayser Corpas, comandante do batalhão, impedia policiais de reprimir o tráfico na região, além de não coibir o transporte alternativo clandestino. Corpas foi escolhido pela Polícia Militar para assumir a subchefia do Comando de Policiamento Especializado. Na quinta-feira, ele foi preso em casa, sob a acusação de mandar sequestrar dois criminosos e exigir, através de outros 15 subordinados já capturados, R$ 300 mil pelo resgate dos bandidos.

Em uma das escutas telefônicas, um bandido pergunta a um PM: "Tá querendo quanto em tudo?". "Cento e setenta", responde o policial. O traficante chega a pechincar com o policial. "Tem como pagar três vez em tudo, dar essa moral pra ele?" O PM ainda argumenta: "É um monte de gente envolvida. Catorze pessoas, mané", diz. A negociação foi feita em nome de Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, chefe do tráfico no Morro do Dendê. 

Traficantes procurados

O Disque-Denúncia (2253-1177) divulgou neste sábado fotos de bandidos ligados ao tráfico de drogas do Morro do Dendê, na Ilha do Governador, que, segundo investigações, teriam ligações criminosas com o antigo comando do 17º BPM (Ilha). As recompensas, de acordo com o grau de periculosidade de cada acusado, variam de R$ 1 mil a R$ 10 mil.

O maior valor é oferecido pela captura do chefe do tráfico, Fernando Gomes de Freitas, o Fernandinho Guarabu, que tem 17 mandados de prisão e 24 anotações criminais por quadrilha ou bando armado, tráfico, associação, homicídio, roubo, porte ilegal de armas, mas nunca foi detido.

Principal homem de confiança de Guarabu e gerente das bocas de fumo na favela, Gilberto Coelho de Oliveira, o Gil, também é um dos mais procurados e tem recompensa fixada em R$ 2 mil. A dupla abriga no Morro do Dendê traficantes oriundos de favelas com UPPs. Gil tem 11 mandados de prisão.

Fernandinho Guarabu (no alto%2C à esq.) comanda bando do DendêDivulgação

Outros criminosos considerados importantes da cúpula do tráfico no Dendê são Carlos Alberto Cambraia Júnior, o Metal, e Maria Carina da Silva Coelho, a Perereca, que se diz irmã de Guarabu. Cambraia, conforme denúncias, é armeiro da quadrilha e transita na favela vestido como um militar, com calça camuflada, colete à prova de balas, granadas, botas e luvas de combate. Perereca receberia informações antecipadas do batalhão local sobre operações no Dendê.

Também são procurados Walter Henrique Correa Júnior, o Risadinha, Carlos Roberto dos Santos, o Lâmpada ou Lampião, Marcos Vinicius dos Santos, o CH ou Chapola, e Felipe Marques Machado da Costa, o Cinquenta. 

Você pode gostar