Por thiago.antunes

Rio - A quadrilha que resgatou o assaltante Johnny Luís Silva, o Bebezão, de 27 anos, de dentro do Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, na madrugada de segunda-feira, pode ser a mesma de Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, apontado pela polícia como chefe do tráfico do Morro da Pedreira, em Costa Barros.

Bebezão seria de bando do Morro da Pedreira%2C em Costa BarrosDivulgação

A Polícia Civil já identificou dois suspeitos de participar do resgate. No momento da ação, apenas um policial militar fazia a escolta do assaltante. Nesta terça-feira, o outro PM que devia estar no Azevedo Lima, mas faltou ao plantão, depôs na 78ª DP (Fonseca).

Segundo o delegado da Divisão de Homicídios de Niterói, Wellington Vieira, a quadrilha seria responsável por uma ação semelhante, em outubro do ano passado, quando criminosos invadiram o Fórum de Bangu, na Zona Oeste do Rio. Eles queriam resgatar Alexandre Bandeira de Melo, o Piolho, além de outros presos. Na ação, um policial militar e um menino de 8 anos morreram atingidos por disparos.

“Uma testemunha reconheceu dois suspeitos de participar do roubo do carro do policial militar. Eles usaram o veículo para resgatar Bebezão. Acreditamos que eles são da quadrilha do Playboy”, contou Wellington Vieira, que, para não atrapalhar as investigações, não divulgou o nome dos suspeitos.

Momentos antes de resgatar Bebezão, o grupo, com mais de dez criminosos, fez uma série de assaltos e num deles matou o subtenente Celso Milício de Oliveira, de 54 anos, do 5º BPM (Praça da Harmonia). A mulher dele, Roseli Barcelos, de 41 anos, foi baleada e está internada no Hospital Estadual Alberto Torres. O militar foi enterrado ontem, no Cemitério de Irajá.

O motociclista Arnaldo Mendonça dos Santos, de 55, foi morto quando passava no momento em que a quadrilha rendia uma mulher para levar seu carro. A Delegacia do Fonseca ainda espera receber as imagens das câmeras de segurança do hospital para que elas sejam analisadas.

Você pode gostar