Mais Lidas

Habeas corpus é concedido a acusados de realizar aborto que matou Jandira

Liberdade provisória foi determinada por ministro do STF em outro processo no qual os réus respondiam pelo mesmo crime

Por nicolas.satriano

Rio - A Justiça do Rio concedeu habeas corpus, nesta quarta-feira, a Rosemere Ferreira, Edílson dos Santos e Carlos Eduardo de Souza Pinto, acusados de fazer parte de quadrilha que agia em clínicas de aborto na Zona Oeste. Os três foram presos em flagrante pela morte da auxiliar administrativa Jandira Magdalena dos Santos, 27 anos. A liberdade provisória foi concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, depois de recurso apresentado em processos que corriam no Tribunal de Justiça do Rio. Apesar disso, a decisão do ministro recai somente sobre um processo, também referente a prática criminosa de abortos. 

Os três que tiveram a liberdade provisória concedida naquele processo são acusados de trabalhar em clínica de aborto onde Jandira morreu, em 26 de agosto do ano passado, depois de passar por uma cirurgia mal sucedida. O corpo da jovem foi encontrado carbonizado dentro de um carro dias depois do procedimento. Em resposta a este crime, Rosemere Ferreira, Edílson dos Santos e Carlos Eduardo de Souza Pinto seguem presos. 

Jandira Magdalena dos Santos teve o corpo carbonizado após morrer em cirurgia de abortoReprodução


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia