Polícia Civil recebe áudio de acidente entre trens na Baixada Fluminense

Material foi enviado para a perícia e resultado pode ajudar na identificação do responsável pela colisão no início do mês

Por paulo.gomes

Rio - O delegado titular da 53ªDP (Mesquita), Matheus Romanelli, recebeu na última terça-feira o áudio do momento que antecedeu o acidente entre dois trens em Mesquita, na Baixada Fluminense, no último dia 5. O arquivo foi entregue pela SuperVia, concessionária responsável pelo serviço de trens no Rio de Janeiro, e foi encaminhado para a perícia.

Segundo a Polícia Civil, o resultado da perícia será um ponto importante na investigação, já que poderá ser confrontado os depoimentos do controlador de tráfego da SuperVia com o maquinista. Os dois deram versões contrárias sobre o acidente e os policiais agora buscam saber quem foi o culpado da colisão que feriu mais de 300 pessoas na Estação Presidente Juscelino, do ramal Japeri.

Durante seu depoimento na 53ªDP, o controlador Fábio Oliveira Riboura, 44 anos, afirmou que acreditar que o sinal estava vermelho na estação Presidente Juscelinio no momento da colisão entre as composições. Ele informou ao delegado crer que o maquinista teria avançado o sinal sem a sua autorização, já que só soube da colisão seis minutos depois do impacto.

No entanto, o maquinista Luiz Felipe Moreira Breves contou em seu depoimento que, quando estava na estação de Edson Passos, duas antes do local do acidente, foi orientado pelo controlador Fábio Oliveira a ficar parado no terminal, porque havia um trem à frente. Depois seguiu viagem até a estação seguinte, Mesquita, onde fez uma parada. Lá ele viu que o sinal estava vermelho. Mesmo assim, segundo ele, o controlador Fábio o autorizou a seguir até Presidente Juscelino.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia