AfroReggae não precisou de licitação porque usa 'metodologia específica'

Resposta da Prefeitura do Rio foi questionada por líderes de outras ONGs que não recebem dinheiro público do município

Por nicolas.satriano

Rio - ONGs que não conseguem ganhar dinheiro público sem participar de licitação questionaram a posição da Prefeitura do Rio. Denúncia publicada nesta sexta-feira, pelo DIA, revelou que o AfroReggae ganhou do município, sem precisar participar de concorrência pública, R$ 9,5 milhões, desde 2010.

Para o fundador e diretor da Agência de Notícias das Favelas, André Fernandes, o que acontece é uma espécie de apadrinhamento. “Não sou a favor que uma só ONG receba tanto dinheiro público sem licitação ou edital. E se recebe declarando notório saber para realização de projetos, que a parte de quem dá ou de quem recebe explique que metodologia é essa”, afirmou.

Secretaria de Cultura disse que o AfroReggae não precisou de licitação porque usa uma "metodologia específica"Fernando Souza / Arquivo Agência O Dia

A Secretaria de Cultura disse que o AfroReggae não precisou de licitação porque usa uma ‘metodologia específica’. No entanto, o órgão não soube explicar qual era. Um outro diretor de ONG, que preferiu não se identificar, com medo de perder os R$ 400 mil prometidos pela prefeitura para 2015, também se mostrou indignado. “É dinheiro mal distribuído. Não consigo entender o motivo desse favorecimento para o AfroReggae”, afirmou o ativista.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia