Pelas Ruas: Back2Black, grande evento de música negra, começa dia 20

O destaque para a presença de Angélique Kidjo, uma das principais lideranças africanas pelo empoderamento da mulher

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Começa dia 20 o Back2Black, que já se confirmou como grande evento de celebração da música negra. Este ano, destaque para a presença de Angélique Kidjo, uma das principais lideranças africanas pelo empoderamento da mulher, e do jamaicano Linton Kwesi Johnson, o ‘pai da poesia dub’ e um dos maiores nomes da poesia contemporânea em língua inglesa. A programação inclui Damian Marley, Planet Hemp, Stromae, Lenine com Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz, entre outros feras.

LÁ TAMBÉM TEM RAP

Berço do samba, Madureira abre alas para o rap neste domingo. Depois de cinco anos, está de volta o Hutúz Rap Festival, que vai agitar o Espaço Cufa, ali sob o Viaduto Negrão de Lima, mais conhecido como Viaduto de Madureira, a partir das 18h. No palco principal, o rapper Dexter (foto) e, no palco alternativo, diversos grupos da nova geração que vão mostrar seus talentos. Haverá ainda espaços para a prática de basquete de rua e grafite e uma feirinha com produtos típicos da cultura hip-hop no local.

Dexter faz rimas sob o viaduto de MaduireiraDivulgação

O ESPAÇO É DA CULTURA

É a praga dos ambulantes. O baile Black Bom, projeto independente da banda Consciência Tranquila que junta mais de duas mil pessoas na Pedra do Sal, está perdendo o espaço para vendedores de cerveja vindos de outros cantos da cidade e que invadem o local. “Eles acabam com o espaço do público e do projeto. As atividades culturais estão ficando em segundo plano”, diz Sami Brasil, organizadora. Amanhã tem mais edição, com homenagem às mulheres. Viva o baile!

Baile perde espaço para ambulantesDivulgação

POR FALAR EM MADUREIRA, o Viaduto Negrão de Lima vai virar tese do Mestrado Profissional em História, Política e Bens Culturais da Fundação Getúlio Vargas. A aluna Luciana Cruz vai defender projeto em que vai analisar os movimentos culturais que se firmaram no local.

QUEREMOS CHET FAKER

Os fãs se mobilizaram, pediram no Queremos! e Chet Faker faz show no Rio. O músico australiano, com forte influência de ritmos como o soul e o R&B, destaque no cenário eletrônico mundial, toca dia 19 no Sacadura Cabral 154. Seu primeiro álbum, ‘Built on a Glass’, foi lançado em 2014 e alcançou o top 100 em diversos países.O Queremos!, para quem não sabe, é uma plataforma que mostra aos artistas onde as pessoas querem vê-los. Assim, os fãs podem ter uma chance de influenciar o roteiro das turnês.

RAPEL POPULAR

Trilha + rapel no Morro da Urca, um programa para quem gosta de aventuras esportivas, ecoturismo e quer desfrutar das duas atividades ligadas à natureza de uma vez só. Organizado pelo grupo Graver, conta com guias e instrutores e fornece todo o equipamento para o rapel e por isso não é preciso experiência para participar. Nesse domingo tem, mas só há vagas para a trilha. O ponto de encontro é em frente ao monumento na Praça General Tibúrcio, na Praia Vermelha, às 8h. Basta levar um quilo de alimento.

CONFETES

Dois coletivos se juntaram para a segunda edição do Dancehall no Morro: Coletivo Juventud Retitude e Quilombo HiFI. Vai ser no Bar do Robinho, com muita dança a noite toda, na Rua Rendeira 104, em Jardim Vista Alegre.

Pre-pa-ra! Campo Grande vai receber hoje à noite Anitta! É o projeto Santa Sexta, que rola toda semana na casa Moovie Music. A abertura é com o Grupo Manda V.

Hoje à noite tem Bangarang Sound System no Varandas da Lapa, com sistema de som original e Mateus Pinguim, do Dub Ataque, como convidado. O melhor da velha escola da música jamaicana volta às origens para relembrar os bailes do início da sua trajetória, com roots reggae, rocksteady, ska e rebadub.


Imperdível a exposição ‘William Eggleston, a cor americana’, do fotógrafo que é considerado o mestre da fotografia colorida. São 170 fotos das décadas de 1960 e 1970. A abertura é amanhã, às 17h, no Instituto Moreira Salles, na Gávea, com a presença do artista.

Amanhã a Biblioteca Parque Estadual (BPE), oferece duas oficinas de mediação de leitura gratuitas e abertas ao público em geral. A BPE fica na Avenida Presidente Vargas 1261, no Centro do Rio.

Coluna de Rita Fernandes

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia