Jovem é assaltado e espancado na Zona Norte do Rio

Estudante ouviu ainda gritos racistas e homofóbicos de bando: 'Preto, viado, pobre. Essa desgraça tem que morrer'

Por paloma.savedra

Rio - Um jovem foi assaltado e agredido em crime de racismo e homofobia, na madrugada deste sábado, na Zona Norte do Rio. Em entrevista ao RJTV, o estudante de teatro, identificado como Ruan, de 25 anos, relatou que estava voltando de uma festa, na Pavuna, quando foi surpreendido por criminosos que lhe deram socos e pontapés aos gritos de 'tem que morrer'. 

Beijaço em protesto contra agressão homofóbica reúne 200 na Zona Sul

O crime ocorreu na Rua Mercúrio, por volta das 4h30, horas depois de um ato contra a homofobia. Na noite desta sexta-feira um 'Beijaço' foi promovido na Praça São Salvador, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio. 

Estudante vítima de homofobia e racismo está com hematomas por todo o corpoReprodução TV Globo

"Eles me deram um chute nas costas", contou ele, que, logo que caiu no chão, ficou completamente indefeso: "Quando houve esse chute, começou a pancadaria e eu só sabia me proteger. Eles chutavam com muitos xingamentos de homofobia e de racismo", relatou.

"Preto, viado, pobre. Essa desgraça tem que morrer, essa raça tem que acabar", diziam os criminosos, que fugiram. Eles ainda pararam um carro ao lado do rapaz e mandaram ele dar todos os objetos que tinha. A vítima teve de entregar um boné e os sapatos aos bandidos. 

”Acho que eles desistiram. Não sei, ou porque estava vindo um menino atr ás, aí eles entraram no carro e saíram, mas antes de eles entrarem no carro, eles ainda deram dois tiros pro alto, mas eu achei que era na minha direção.”

Ruan está com hematomas por todo o corpo e ainda não prestou depoimento na delegacia. "Estou tremendo até agora. Estou sem dormir. Estou com muita dor, nos pulsos, nas costas, no lado direito todo. Graças a Deus estou vivo, apesar das lesões. Mas quantos negros e gays morrem por aí? Pra mim é gente desequilibrada", declarou. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia