Homem acusado de estuprar jovem deficiente visual é preso

Adolescente de 16 anos, aluna do Instituto Benjamin Constant, reconheceu o criminoso através da voz

Por paulo.gomes

Rio - O crime que chocou os profissionais e alunos do Instituto Benjamin Constant, na Urca, foi solucionado na tarde de terça-feira. Preso após ser identificado como autor do estupro de uma aluna deficiente visual, de 16 anos, Cláudio Luiz Martins Benino, 45, confessou a violência sexual na 10ª DP (Botafogo) para onde foi levado.

Ele, que trabalhava como motorista de familiares de alunos, se aproveitou do livre acesso que tinha à instituição. Denunciado pela diretoria, o caso foi registrado como estupro de vulnerável.

De acordo com policiais, as câmeras de segurança indicaram o veículo dirigido pelo criminoso. Ontem, ao realizar o transporte, ele foi surpreendido pelos agentes. Na delegacia, a jovem o reconheceu por voz, não deixando dúvidas quanto a autoria. Trêmulo, Cláudio assumiu a responsabilidade e detalhou o crime, realizado no dia 18 de março.

Ele disse ter abusado da jovem em uma escada e tê-la ameaçado, caso relatasse o ocorrido para alguém. Contra ele, já havia um mandado de prisão preventiva expedido pelo Plantão Judiciário por conta da suspeita. Apesar disto, ele não possuía antecedentes criminais.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia