PMs da UPP Nova Brasília apreendem fuzil e drogas na comunidade

Desde a última quinta-feira, segurança no Complexo do Alemão segue reforçada com mais 300 homens do Bope, Batalhão de Choque e BAC

Por paloma.savedra

Rio - Durante operação realizada no início da tarde desta terça-feira na comunidade Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, policiais da UPP da região apreenderam grande quantidade de armamentos e drogas. Ao todo, os PMs encontraram um fuzil calibre 7.62, 38 munições do mesmo calibre, 48 munições calibre 9mm, 149 pedras de crack, aproximadamente meio quilo de pasta base de cocaína, cerca de 250 gramas de cocaína e material para endolação.

Leia mais:

PMs envolvidos na morte do menino Eduardo são afastados

Policiais da UPP Nova Brasília fazem treinamento com o Bope

Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o material estava em uma casa na comunidade e os policiais chegaram ao local após denúncias de moradores. Não houve prisões. O caso está sendo registrado na 45ª DP (Alemão), para onde os materiais foram encaminhados. 

PMs apreenderam um fuzil%2C 38 munições do mesmo calibre%2C 48 munições%2C 149 pedras de crack%2C 250 gramas de cocaína e meio quilo de pasta base da drogaDivulgação

A operação faz parte do reforço no policiamento no conjunto de favelas. Desde a última quinta-feira, a Polícia Militar segue com ações nas 15 favelas do Complexo do Alemão. Além do efetivo de 1.230 policiais das quatro UPPs da região (Adeus/Nova Baiana, Fazendinha, Nova Brasília e Alemão), mais 300 homens dos batalhões de Operações Especiais (Bope), de Choque e de Ações com Cães (BAC) — com apoio ainda do Grupamento Aéreo Móvel (GAM) — fazem incursões no local, com objetivo de combater a ação de criminosos. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), será instalada nos próximos dias a primeira cabine blindada no conjunto, e que ficará na comunidade Nova Brasília.

De acordo com a CPP, além das varreduras, o objetivo é fazer um 'remapeamento' da área. A UPP afirma que com a ocupação da região, os criminosos passam a modificar o modo e os locais onde agem. Com isso, novos pontos da ação de bandidos são identificados.

O patrulhamento das comunidades do Alemão seguiu reforçado ontem%2C um dos raros dias em que não foram registrados tiroteios este anoSeverino Silva / Agência O Dia

A violência com os intensos confrontos no Complexo do Alemão foi alvo de indignação de moradores da região, que fizeram protestos no fim de semana. Em dois dias — na quarta e na quinta-feira —, quatro pessoas morreram vítimas de tiroteios: dois eram suspeitos e as outras duas uma mulher, que foi alvejada dentro de casa, e uma criança de apenas 10 anos.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia