Professores da Uerj protestam no Palácio Guanabara por reajuste

Comissão de docentes se reuniu com assessor do governo, mas não houve avanços na negociação

Por paloma.savedra

Rio - A crise nas universidades do Rio parece não ter fim. Uma comissão de docentes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) se reuniu com o assessor da Secretaria Estadual de Governo, Affonso Monnerat, na tarde desta quinta-feira, no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, para reivindicar um reajuste salarial que não existe há 13 anos. Porém, apesar do diálogo, não houve avanços nas negociações. Antes do encontro, o grupo participou ainda de uma passeata que saiu do Largo do Machado até o local. 

Uerj não terá aulas e protesto é organizado

Segundo o presidente da Associação de Professores da Uerj, Bruno Deusdará, Monnerat alegou que "não há segurança orçamentária para reajuste salarial dos docentes". No entanto, o governo se comprometeu a abrir mesa de negociações, ainda sem data definida. 

Professores da Uerj reivindicam reajuste salarial, que, segundo eles, não existe há 13 anos; uma comissão de docentes foi recebida nesta quinta-feira no Palácio GuanabaraAgência O Dia

As atividades dos docentes foram paralisadas a partir das 12h desta quinta-feira. Antes da reunião no Palácio Guanabara, os docentes da Uerj se concentraram desde as 13h no Largo do Machado para a passeata. O ato teve participação de alunos e funcionários da instituição. Alguns saíram dos campi Maracanã, São Gonçalo, Duque de Caxias, além do CAp-Uerj, em um ônibus para o local. 

O protesto 'Em defesa da Uerj' reivindica a regularização do pagamento dos terceirizados e bolsistas, a recuperação dos salários dos professores e técnico-administrativos, a dedicação exclusiva na aposentadoria, e a garantia de investimento público na universidade.

Apesar de não ter feito acordo sobre os reajuste, Bruno Deusdará lembrou que a situação dos terceirizados foi regularizada: "O pagamento dos terceirizados foi regularizado hoje. Insistimos na necessidade de manter a regularidade dos pagamentos, pois muitos deles vivem em condições precárias", declarou. 

Reitoria suspende aulas desta sexta-feira

Para impedir mais uma onda de ataques internos na universidade, a Reitoria da Uerj determinou a suspensão das atividades nesta sexta-feira. 

Reportagem de Luísa Cabral

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia