Protesto na Lagoa pede segurança para o Rio

'Não queremos policiamento de uma semana ou um mês, mas sim, permanente', disse Márcia Veiga, uma das organizadoras

Por nicolas.satriano

RIo - Não só pelos ciclistas, mas por toda a cidade. Depois dos recentes casos de violência, um protesto convocado nas redes sociais na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, reuniu aproximadamente 300 pessoas na manhã deste domingo, próximo ao Clube Caiçaras, na Avenida Borges de Medeiros, altura do Canal Jardim de Alah. Os manifestantes pedem segurança para todo o Rio e lembram o caso da morte do médico Jaime Gold, esfaqueado e morto na Curva do Calombo, no mesmo bairro. 

"Somos um movimento em prol da segurança, estamos aqui para pedir não só segurança nas ciclovias, mas em todo o Rio de Janeiro. Não queremos policiamento de uma semana ou um mês, mas sim, permanente", enfatizou Márcia Veiga, uma das pessoas à frente da organização do protesto. 

Todos trajados de preto, os manifestantes, que por volta das 10h30 ocupavam uma faixa da Borges de Medeiros, saíram em passeata pelo entorno da Lagoa. Alguns, erguiam rodas de bicicleta com lenços brancos, como um pedido de paz nas ciclovias e cobrando segurança. "Não temos segurança. Ela (a bicicleta) está sendo usada como produto para revenda e como instrumento para os roubos", reclamou Ana Paula Cavalcanti, 


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia