Crianças passam mal em escola municipal na Cidade de Deus

Secretaria de Educação acionou outros órgãos para investigar se há problemas na água e alimentos servidos no colégio

Por O Dia

Alunos da Escola Municipal Leila Barcellos%2C na Cidade de Deus%2C passaram mal na tarde de terça-feira e foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localDivulgação

Rio - Cerca de 40 alunos da Escola Municipal Leila Barcellos, na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, passaram mal na tarde desta terça-feira. Com idades entre cinco e dez anos, elas foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro. Muitas tiveram que ser transferidas para hospitais da rede pública, onde estão internadas. A suspeita é de problemas com a água ou a alimentação servida na unidade de ensino.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (SME) informou que o incidente ocorreu por volta das 15h30. Os alunos começaram a apresentar quadro de enjoo, seguido de vômito e náuseas foram encaminhado à UPA. Os responsáveis foram acionados pela direção da escola e levados para a unidade junto com os estudantes.

Ainda de acordo com a nota "a SME esclarece, ainda, que a 7ª Coordenadoria Regional de Educação entrou em contato com o Instituto de Nutrição Annes Dias, responsável pela elaboração do cardápio e acompanhamento nutricional da rede escolar, e com a Vigilância Sanitária municipal, com objetivo de analisar a água e os alimentos da escola para identificar as causas do ocorrido".

Segundo informação do órgão de Educação, os estudantes atingidos estavam com o quadro de saúde estável e em observação na rede de saúde. Pelo menos duas crianças foram transferidas da UPA para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e cinco para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

NOTA DA SME:

"A Secretaria Municipal de Educação informa que nesta terça, por volta de 15h30, cerca de 40 alunos da Escola Municipal Leila Barcellos, na Cidade de Deus, começaram apresentar quadro de enjoo seguido de vômito. Após a identificação dos casos, os responsáveis foram imediatamente acionados e levados com os estudantes, com o suporte da direção da unidade, à Unidade de Pronto Atendimento da região e para outras unidades públicas de saúde, para que fossem atendidos. A SME esclarece, ainda, que a 7ª Coordenadoria Regional de Educação entrou em contato com o Instituto de Nutrição Annes Dias, responsável pela elaboração do cardápio e acompanhamento nutricional da rede escolar, e com a Vigilância Sanitária municipal, com objetivo de analisar a água e os alimentos da escola para identificar as causas do ocorrido.

Os estudantes que apresentaram os sintomas estão em quadro estável e permanecem em observação nas unidades de saúde. A direção da unidade permanece à disposição dos responsáveis para esclarecimentos em relação ao caso".

Últimas de Rio De Janeiro