Estado deve fechar contas com déficit de R$ 3,5 bilhões

Valor é R$ 10 bilhões a menos do que o inicialmente previsto

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Pelos números de Julio Bueno, secretário de Fazenda, o governo estadual não tirou o pescoço da forca, mas já conseguiu afrouxar o laço da corda. Em reunião com todo o secretariado, ele afirmou que o estado, que começou o ano prevendo um déficit de R$ 13,5 bilhões, deve fechar 2015 com um buraco de R$ 3,5 bilhões nas contas.

Esta é uma projeção intermediária. O cenário pessimista admite um rombo de R$ 5 bilhões; o mais otimista prevê que as contas estarão zeradas no dia 31 de dezembro.

Boas notícias

O alívio está relacionado a um empréstimo de R$ 6 bilhões do Fundo Judiciário, melhora na arrecadação e com a grana de acordos de renegociação de dívidas decorrentes de multas aplicadas pelo estado. Até agora, empresas, entre elas a Petrobras, aceitaram pagar R$ 1,5 bilhão para acabar com as pendências.

Más notícias

Mas há muitas contas para serem colocadas em dia. Algumas concessionárias de serviços públicos (gás, energia, água) têm créditos pendentes desde 2013. Cabe aos secretários escolher, com o dinheiro disponível, quem vai receber.

Telefones mudos

Desde terça à noite que os telefones do IML estão mudos. O problema, que afeta toda a região, teria sido causado por furto de cabos.

Cortes

Menos dinheiro para limpeza e segurança de hospitais. A prefeitura reduziu em 25% um contrato com a Comlurb e, em 19%, um outro com a VS Brasil.

Parado

Usado no diagnóstico de doenças cardíacas, o aparelho de angiotomografia do Hospital dos Servidores está parado há cerca de três meses. O Ministério da Saúde diz que a máquina voltará a funcionar em agosto.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia