Homens suspeitos de pertencer ao tráfico são salvos de execução por PMs

Eles foram torturados por traficantes da mesma facção e por pouco não morreram

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Dois homens suspeitos de pertencerem ao tráfico de drogas do bairro Santa Cruz, em Volta Redonda, no Sul Fluminense do Rio, foram torturados por traficantes da mesma facção e por pouco não morreram. A tortura aconteceu nesta quinta-feira no condomínio Minha Casa Minha Vida, na região. Rafael Antônio de Souza, de 18 anos e Marlon Vinícius dos Santos Guimarães, de 23, foram salvos por policiais militares do 28º BPM (Volta Redonda), que impediram a execução após uma denúncia anônima.

Suspeitos foram encontrados amarradosA Voz da Cidade

Segundo o comandante do batalhão de Volta Redonda, tenente-coronel Luiz Cláudio dos Régis, os homens teriam sido espancados após sumirem com uma pistola 9 milímetros que seria da quadrilha. Mônica Cavedo Pereira da Silva foi presa em flagrante e autuada por tortura, tráfico e associação para o tráfico. Ela teria recebido ordens de um homem identificado como ‘Nego’, apontado como chefe do tráfico da região, para torturar e executar a dupla.

“Eles receberam golpes nas pernas e costas. Foram pauladas em várias partes do corpo. Se não chegássemos na hora, estariam mortos. Com certeza morreriam, pois estavam até com os pés amarrados com fitas. O sumiço de uma pistola teria sido o motivo da tortura. As vítimas também pertenciam ao tráfico. A Mônica teria recebido ordens do Nego”, comentou o comandante Luiz Cláudio, que garantiu: “O patrulhamento na região já está intensificado”, garantiu.

As marcas da tortura deixada pelos criminosos de mesma facçãoA Voz da Cidade

De acordo com informações da 93ª DP (Volta Redonda), Rafael e Marlon foram presos em flagrante e autuados em associação para o tráfico de drogas. Mônica foi presa em flagrante e autuada por tortura, tráfico e associação para o tráfico.

Segundo policiais militares, com ela foram apreendidos 11 pinos de cocaína, dois sacolés de maconha, barra de ferro, madeira, corda e fita adesiva. Todo o material será encaminhado para perícia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia