PM executado na Zona Norte será sepultado na tarde desta sexta-feira

Ricardo Santos Kinupa, da UPP Mangueira, foi morto quinta-feira, perto de casa, em Brás de Pina

Por paulo.gomes

Rio - O soldado da Polícia Militar, Ricardo Santos Kinupa, de 33 anos, será sepultado na tarde desta sexta-feira, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap. Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, ele morreu assassinado na quinta-feira, próximo de sua casa, em Brás de Pina, na Zona Norte.

Lotado na UPP Mangueira%2C o policial militar Ricardo Santos Kinupa%2C foi assassinado perto de casa%2C em Brás de Pina%2C e será sepultado nesta sexta%2C às 15h30Reprodução Facebook

Ele andava pela Rua Guaíba, quando criminosos passaram dentro de um carro e realizaram vários disparos contra o PM. A vítima, que era pai de duas filhas, tinha ainda foi encaminhada para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu aos ferimentos. Ricardo Kinupa estava há quatro anos na corporação.

Segundo as investigações, a principal hipótese é que o PM tenha sido executado, já que os criminosos não levaram a arma da vítima. O soldado foi morto perto do Morro do Quitungo, comunidade que vem sendo palco de diversos confrontos nos últimos dias.

LEIA MAIS: Policial militar é morto a tiros em Brás de Pina

O poder paralelo na favela era dividido entre milicianos e traficantes de uma facção criminosa. De acordo com informações de agentes da PM que atuam na região, a milícia local teria vendido o controle do morro para a quadrilha do traficante Playboy, que também disputa o Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na mesma região. A chegada da quadrilha de Playboy no Quitungo abalou a estrutura de poder estabelecida e, por consequência, provocou a volta dos tiroteios.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia