Por risco de fuga, julgamento de Fernandinho Beira-Mar é transferido

MP do Rio solicitou e conseguiu que traficante seja julgado em uma das Varas da Capital, e não na Vara Criminal de Caxias

Por nicolas.satriano

Rio -  Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, não será mais julgado na Vara Criminal de Duque de Caxias, mas sim em uma das Varas do Tribunal do Júri da Comarca da Capital. O Ministério Público do Rio conseguiu a na Justiça que o julgamento do traficante fosse transferido.

O principal motivo é evitar uma possível tentativa de resgate do traficante durante a audiência, inicialmente marcada para o Fórum de Caxias. Além disso, o MP buscava impedir que o criminoso influenciasse ou intimidasse jurados. 

Beira-Mar é acusado de comandar a execução do estudante de informática Michel Anderson Nascimento dos Santos, de 21 anos, em dezembro de 1999, na Favela Beira-Mar, em Duque de Caxias. A vítima foi submetida à sessão de tortura, em que teve pés, mãos e orelhas decepadas, tendo sido obrigado a engolir uma delas.

Ao apreciar o recurso do MP e determinar a transferência do julgamento de Beira Mar para a Capital, o ministro Félix Fischer deu destaque à "periculosidade do réu, que é nacionalmente reconhecido como líder de fação criminosa".

De acordo com o ministro, dados concretos mostram que há dúvida sobre a imparcialidade dos jurados. Preso desde 2002, o traficante está detido em presídio federal e já tem mais de 200 anos de penas somadas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia