Por roberta.campos
Publicado 27/12/2015 13:16 | Atualizado 27/12/2015 15:25

Rio - Mais um PM de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) foi preso acusado de roubar um morador de comunidade. O caso dessa vez aconteceu a madrugada deste domingo no Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, Zona Sul do Rio.

LEIA MAIS: PMs acusados de torturar menores são suspeitos de dar tiro de fuzil em jovem

A vítima relatou na 12º DP (Copacabana) que o soldado identificado como Abrahão, roubou seu relógio e R$ 65, rasgou sua carteira e jogou spray de pimenta em seu rosto após abordá-la na Ladeira Saint Roman, altura do número 100. O policial é lotado na UPP do Vidigal, mas estava trabalhando em Copacabana no Regime Adicional de Serviço (RAS). Ele ficará preso administrativamente por 72 horas.

A vítima procurou a delegacia espontaneamente após a abordagem. Lá, ela disse que mora na Rocinha e estava indo à casa do patrão quando foi parada pelo PM e outros policiais, mas apontou apenas Abrahão como autor dos fatos. 

De acordo com a assessoria da UPP, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) determinou a abertura de uma averiguação sumária para apurar a denúncia contra um policial da Unidade de Polícia Pacificadora do Vidigal, que estava apoiando o patrulhamento na comunidade Pavão-Pavãozinho. Posteriormente, ele poderá ser submetido a um Inquérito Policial Militar (IPM).

O caso aconteceu três dias depois de oito PMs da UPP do Fallet serem presos acusados de torturar, roubar e atirar em moradores da comunidade, como O DIA mostrou ontem com exclusividade. Eles serão soltos amanhã, quando vence a prisão administrativa decretada pela corporação, mas farão trabalhos administrativos e não voltarão às ruas.

Você pode gostar