Por felipe.martins

Rio - Presidente do diretório estadual do PHS desde o fim do ano passado, o prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos, acredita no crescimento da sigla nas próximas eleições pelo fato de o partido ser um dos poucos fora das famosas listas da Operação Lava Jato, que trazem as relações de políticos que recebem doações de empreiteiras, bancos e grandes grupos econômicos.

Apesar de a simples presença do nome em uma destas listas não significar, necessariamente, irregularidade, a ausência nas listagens tem sido vista quase que como um atestado de idoneidade política. “O PHS não é um partido novo. Já tem 19 anos de existência. E na última lista divulgada, da Odebrecht, foram 24 partidos citados. E o nosso não estava. Este foi um dos motivos que me fizeram optar pela legenda. É um partido limpo, que não está envolvido em problemas de corrupção como a maioria dos demais”, defende Sandro Matos.

Atualmente, o PHS conta com 18 vereadores nos 92 municípios do Estado do Rio. A expectativa é, pelo menos, duplicar este número nas eleições municipais.  “Os partidos políticos têm até o próximo dia 14 para enviar suas listagens de filiados atualizada ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Nesta última troca, creio que já teremos mais de 30 vereadores concorrendo à reeleição. Com boas perspectivas de este número aumentar. Ainda teremos entre dez e vinte candidatos a prefeito no estado. E outros dez e vinte a vice-prefeito”, calcula Sandro Matos. 

Você pode gostar