Hospital de Campanha de Nova Friburgo começará a ser desmontado no dia 5 de agosto
 - Paula Valviesse
Hospital de Campanha de Nova Friburgo começará a ser desmontado no dia 5 de agosto Paula Valviesse
Por Paula Valviesse
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Nova Friburgo, enviou ofício à Secretaria de Estado de Saúde sobre a viabilidade de cessão provisória dos profissionais de Saúde contratados para atuar no Hospital de Campanha que está sendo implantado no município para atendimento dos pacientes de Covid-19 internados no Hospital Municipal Raul Sertã.

No documento, assinado pela promotora Cláudia Canto Condack, é questionado ainda sobre a possibilidade do contratação de leitos particulares pelo Estado para ampliar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), até que o Hospital de Campanha seja efetivamente implantado no município.

O pedido leva em consideração a demora na abertura do Hospital de Campanha, que ainda não tem data prevista para começar a prestar atendimentos aos pacientes de Covid-19, assim como os contratos já estabelecidos com os profissionais de Saúde que irão atuar na unidade.

Outro ponto abordado no documento diz respeito ao déficit de profissionais, que impede a ampliação do atendimento no hospital público: “Um dos gargalos para a ampliação da capacidade de atendimento do HMRS esbarra na dificuldade, apontada pelo gestor municipal, em contratar novas equipes de profissionais de saúde para novos leitos”, destacando ainda a importância da unidade não só para o município, mas também para as cidades vizinhas, uma vez que Nova Friburgo é polo da Região Serrana.

De acordo com o ofício, a Secretaria de Estado de Saúde tem agora o prazo de 10 dias para analisar a proposta e enviar a resposta ao MPRJ.
Você pode gostar
Comentários