Testagem feita com RT-PCR para o diagnóstico da Covid-19 - Foto: Reprodução / Isabela Carrari
Testagem feita com RT-PCR para o diagnóstico da Covid-19Foto: Reprodução / Isabela Carrari
Por O Dia
O programa de Testes Covid-19 da Firjan SESI no Centro-Norte realizou até agora 4.909 testes em funcionários de empresas de Bom Jardim, Cantagalo, Cordeiro, Macuco e Nova Friburgo. Deste total, 4.429 testes foram feitos em trabalhadores de 134 empresas de Nova Friburgo, o que faz da cidade a segunda com maior número de exames, atrás apenas do Rio de Janeiro.

Pensando em uma retomada segura e saudável das atividades em 2021, no momento em que há novos casos de contaminação pela doença, o programa foi prorrogado até março deste ano.

Preocupado com a possibilidade de uma nova onda de contaminações, o presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo (Sindvest), Marcelo Porto, garante que as confecções farão esforços para testar a maior parte dos seus colaboradores nos primeiros dias do ano: “A atuação da Firjan SESI foi fundamental para conter o avanço da doença em 2020 e será ainda mais importante agora para permitir a retomada segura das atividades, garantindo a saúde de todos os colaboradores e preservando vidas”, afirma Porto.

O serviço é exclusivo para os trabalhadores da indústria, via solicitação de pessoa jurídica, não extensivo aos dependentes, em virtude da priorização do atendimento à cadeia produtiva da indústria fluminense. As solicitações podem ser feitas por meio de preenchimento de cadastro disponibilizado pela Firjan SESI.

Quase 90% dos testes realizados pela Firjan SESI em todo o Estado do Rio foram feitos a pedido de empresas de pequeno porte. Para este perfil de negócio, com até 100 colaboradores, o serviço é oferecido de forma gratuita. Para as demais empresas, os testes saem a preço de custo.

A presidente da Firjan Centro-Norte Fluminense, Márcia Carestiato Sancho, ressalta a importância do programa da Firjan SESI para que as micro e pequenas empresas pudessem continuar funcionando em meio a pandemia. “A maior força de trabalho do país está nos pequenos negócios. Eles são responsáveis por 55% dos empregos formais e representam 99% de todas as empresas formalizadas do Brasil, mas também são as que mais sofrem quando são impedidas de trabalhar. Manter essas empresas em funcionamento é manter a roda da economia girando”, destaca.

Desde o início do programa em abril, a Firjan SESI fez mais de 34 mil exames com 805 empresas atendidas. O programa contempla desde a coleta das amostras, análise laboratorial e gestão médica dos resultados. O serviço é executado pelo Centro de Inovação SESI Higiene Ocupacional (CIS HO) em parceria com a UFRJ.

O método do teste molecular RT-PCR realizado pela Firjan SESI é feito a partir da coleta de secreção da garganta e das narinas, sem procedimento invasivo, de fácil coleta e com capacidade de identificação do vírus antes mesmo do aparecimento dos sintomas. A contratação desse serviço é indicada para as indústrias que mantêm seu processo produtivo operando com trabalhadores de forma presencial.
Você pode gostar
Comentários