Coletiva de imprensa com os profissionais da Saúde de Nova Friburgo após a chegada do primeiro lote de vacinas - Divulgação
Coletiva de imprensa com os profissionais da Saúde de Nova Friburgo após a chegada do primeiro lote de vacinasDivulgação
Por Paula Valviesse
Nesta terça-feira (19/01), a Saúde de Nova Friburgo recebeu as primeiras doses da vacina CoronaVac para dar início ao plano de imunização. Contudo, pela manhã, o Executivo divulgou um vídeo nas redes sociais que trata sobre o aumento expressivo de casos que vem sendo registrado no município, com mais de 100 novos casos por dia. A situação foi também confirmada em entrevista coletiva com profissionais da Secretaria de Saúde no final da tarde.

A coletiva foi concedida pelo subsecretário de Atenção Hospitalar, Ricardo Fazoli, que está respondendo interinamente pela Secretaria de Saúde; pela subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Penna; e pelo coordenador da Vigilância Sanitária, Humberto Delegave. No vídeo e também na coletiva foram reforçadas as novas medidas restritivas, mais rígidas, do decreto atualizado pela nova gestão e que entram em vigor nesta quarta-feira (20/01), com suspensão e mudanças em horários de funcionamento de algumas atividades econômicas.

Até o domingo (24/01), Nova Friburgo permanece na Bandeira Vermelha, fase de alto risco de contágio. De acordo com o último boletim Covid-19, emitido pela Secretaria Municipal de Saúde, o município registra hoje 8,5 mil casos positivos e 252 mortes pela doença. Já as taxas de ocupação dos leitos exclusivos, tanto de UTI quanto clínicos, estão altas na rede pública e privada. Só o Hospital Municipal Raul Sertã está com 100% dos leitos de UTI ocupados e 78,2% dos leitos de enfermaria.

“Não podemos deixar de lembrar que todo cuidado continua, foi apenas a primeira dose, o momento da nossa cidade é difícil, é complexo, assim como é o momento da região e do país. Pessoas ainda estão morrendo pela doença, a gente não sabe na verdade como cada um pode reagir ao ser contaminado pelo vírus, então a palavra de ordem é prevenção. O remédio está chegando, mas ainda não tem para todo mundo”, enfatizou Fazoli.
Você pode gostar
Comentários