Rio, 29/10/2019, Entrevista com o prefeito de Nova Iguacu Rogerio Lisboa, foto de Gilvan de Souza / Agencia O Dia - Agencia O Dia
Rio, 29/10/2019, Entrevista com o prefeito de Nova Iguacu Rogerio Lisboa, foto de Gilvan de Souza / Agencia O DiaAgencia O Dia
Por O Dia
Nova Iguaçu - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) indeferiu o pedido de candidatura de Rogério Lisboa (PP), que tenta a reeleição à prefeitura de Nova Iguaçu. A decisão do juiz eleitoral Alberto Republicano de Macedo Jr, da 156ª Vara Eleitoral, foi tomada em função de irregularidade no registro da coligação " Fé, Trabalho e Humildade". Lisboa disse em nota que vai recorrer e regularizar o problema burocrático.
A situação se arrasta desde sábado, quando o pedido de registro da coligação formada por 11 partidos (PV, PSL, PP, DEM, Avante, PDT, MDB, PL, Cidadania, Patriota e Pros) foi negado. O problema está na entrega da documentação, por causa de uma irregularidade do DRAP (Demonstrativo de Regularidades de Atos Partidários): o PMD seguia incluído no documento apesar de não fazer mais parte da candidatura de Rogério Lisboa.
Publicidade
Na terça-feira, o desembargador Vitor Marcelo do, TRE-RJ, suspendeu outras duas ações de impugnação de registro de candidatura da coligação do atual prefeito de Nova Iguaçu, pedidas pelo diretório municipal do partido Rede Sustentabilidade e pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).
Entretanto, o juiz Alberto de Macedo, que julgou outra ação, desta vez do PSC contra Lisboa referente a 2016, não aceitou o pedido de impugnação, mas ainda assim indeferiu  o registro da candidatura para 2020 "tendo como único fundamento o indeferimento do DRAP da mencionada Coligação", segundo a sentença.
Publicidade
Confira a nota divulgada pela campanha de Rogério Lisboa:
"Os advogados de Rogério Lisboa vão recorrer da decisão do juiz de Nova Iguaçu. A própria sentença diz que os direitos políticos estão mantidos enquanto não for julgado o mérito. Importante frisar que o indeferimento foi por causa de um problema burocrático no registro de partidos da coligação. Os erros nos registros serão corrigidos e os problemas com a Justiça Eleitoral sanados. É bom lembrar que problemas parecidos aconteceram na última eleição, quando Rogério concorreu com liminar. Posteriormente, tudo foi esclarecido e o candidato venceu com a maior diferença para o segundo colocado de todo o Estado do Rio de Janeiro. Rogério Lisboa respeita e cumpre as decisões judiciais, como deve ser, mas entende que elas não devem limitar a democracia maior, que a do voto do cidadão".