Por

O líder do governo na Alerj, o deputado estadual Márcio Pacheco (PSC), disse que é comum os projetos entrarem em regime de urgência no fim do ano. Segundo ele, essa rotina é habitual em dezembro e não tem relação com as férias. Já o parlamentar Flávio Serafini (PSOL) contou que projetos importantes foram aprovados com pouca discussão. "Foi um dia confuso. As matérias não tiveram o período regimental respeitado. Essa pressa tem a ver com cobranças de alguns setores. Ano que vem, poderia ter um debate mais profundo", disse.

Você pode gostar
Comentários