Por thiago.antunes

Rio - Uma manifestação de professores da rede estadual interdita diversas vias do Centro, na tarde desta terça-feira. Cerca de 500 profissionais se concentram em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Com faixas, cartazes e palavras de ordem, parte deles ocupa a Avenida Presidente Carlos, em frente à Casa. Alguns docentes chegaram a sentar nas pistas.

A Rua Primeiro de Março também segue interditada. O desvio é feito na Presidente Antônio Carlos em direção a Agnaldo de Castro. PMs acompanham o protesto. Até o momento, não há registro de incidentes no ato.

A greve dos professores estaduais começou no dia 8 de agosto. Na semana passada, os docentes agendaram reunião com o representante do governo, deputado André Corrêa. Os manifestantes também pediram reunião com o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, e estão acampados na porta da Alerj desta quinta-feira.

Entre as exigências dos profissionais está a mudança para 30 horas de trabalho, que segundo Corrêa será analisada e respondida em até 15 dias pela Procuradoria Geral do Estado.

Outras demandas pedem reajuste salarial de 20% (anteriormente 28%), no qual o parlamentar argumentou a criação de uma mesa de negociação para 2014, plano de carreira para funcionários e o programa "Uma matrícula, uma escola", que estipula o cumprimento da carga horária somente em uma unidade e1/3 para planejamento e grade curricular. Como resposta ao congelamento das funções, o governo propôs fazer um centro de pesquisas para mapear o nível de qualificação dos empregados para se posicionar depois sobre o descongelamento das carreiras.

Você pode gostar