Secretário admite que BRT Transcarioca precisa passar por ajustes

Primeira viagem durou 90 minutos e a meta inicial é que o tempo seja de 70 minutos. Imprudência dificulta serviço

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - A primeira viagem do BRT Transcarioca entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão, durou 90 minutos. Já no sentido contrário, uma viagem acompanhada por nossa reportagem durou 75 minutos. A imprecisão no tempo de viagem no primeiro dia é causada por diversos fatores e o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, admitiu que ajustes e avaliações precisam ser feitos. 

Sansão disse que o tempo de viagem previsto inicialmente é de 70 minutos. Ele justificou o aumento do tempo no primeiro dia de funcionamento a cautela pedida aos motoristas devido ao desconhecimento e imprudência de pedestres e motoristas nos primeiros dias.

Sansão ao lado da presidente da CET-Rio%2C Cláudia Secin%3A Secretário municipal de Transportes admite que ajustes precisam ser feitos no TranscariocaOsvaldo Praddo / Agência O Dia

"Com a entrada do BRT as pessoas vão começar a perceber os riscos. Vamos priorizar as ações de trânsito para coibir os abusos ou a negligência nas vias do BRT", alertou.

Já a presidente da CET-Rio Cláudia Secin revelou que inicialmente os trechos mais problemáticos da Transcarioca são o bairro de Madureira, no trecho entre o Mercadão e o Morro da Serrinha, e a Avenida Brás de Pina, na altura da Penha. Segundo Secin, 200 agentes da companhia e 100 da Guarda Municipal vão trabalhar 24 horas nas fiscalização do trânsito nas vias do BRT. Ela afirmou que 70 pardais estão em operação na via mas outros poderão ser instalados em locais próximos para ajudar no monitoramento.

Passageiros aprovam modal

Passageiros do BRT Transcarioca aprovaram no início da manhã desta quarta-feira as primeiras horas da circulação do novo trecho do sistema articulado de ônibus, que faz a ligação da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, com o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, com apenas uma parada na estação Vicente de Carvalho, na Zona Norte. No entanto, irregularidades de motoristas foram novamente flagradas no percurso.

A viagem inaugural do BRT partindo do Terminal Alvorada teve início às 5h02. Os 39 quilômetros foram percorridos em exata 1h30. Além do motorista Maurício Canelato, de 46 anos, seguiram um instrutor, jornalistas, assessores do BRT e do Rio Ônibus, dois PMs do Programa Estadual de Integração na Segurança — que participam do reforço no policiamento remuneradamente em suas folgas — e a presidente da CET-Rio, Cláudia Secin. O secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, que seguia no veículo que saiu o Terminal Galeão para a Barra, acabou embarcando em Vicente de Carvalho e se juntando a secretária.

BRT Transcarioca semidireto do Terminal Alvorada para o Galeão começa a funcionar nesta quarta-feiraOsvaldo Praddo / Agência O Dia

O primeiro passageiro, Antonio Jorge Hermínio Galo, de 24 anos, foi conferir a nova opção de ligação entre a duas regiões da cidade. "Já tinha andado no Transoeste e tinha uma noção de que seria bom. A Zona Oeste tem uma deficiência muito grande de ônibus e agora ligando com a Zona Norte as coisas ficarão melhores. Sou frequentador da Barra da Tijuca e agora tenho mais esta opção", elogiou o passageiro, morador da Pavuna, que viajou no ônibus apenas para conhecer o novo serviço.

No desembarque na estação Galeão 1, no Terminal 1 do Tom Jobim, o auxiliar de escritório Victor Martins, 26, já aprovou os benefícios do serviço BRT. Morador da Penha, na Zona Norte, ele levou duas horas e meia para chegar ao Galeão na terça-feira, após fazer baldeação em Bonsucesso. Com o transporte rápido do ônibus articulado reduziu o tempo de viagem em uma hora.

"O maior problema hoje foi perder uma hora para ir da Penha até Vicente de Carvalho de ônibus convencional. Mas isso só vai melhorar quando a estação Penha, próximo da minha casa for inaugurada. De Vicente de Carvalho até o aeroporto levei só 27 minutos. Achei o serviço, o ônibus e o tempo de viagem muito bons", afirmou.

O auxiliar de escritório, porém, lamentou no trajeto ter visto pessoas circulando na faixa exclusiva do ônibus. As cenas de imprudência dos pedestres já tinham sido flagrados pelo DIA desde o início do funcionamento do trecho da linha entre o Terminal Alvorada e o Tanque, em Jacarepaguá, na segunda-feira.

Durante o trajeto Alvorada-Galeão, os maiores problemas nas pistas exclusivas foram flagrados no bairro de Madureira. Na descida do Viaduto Negrão de Lima, no entroncamento com a Avenida Ministro Edgard Romero e a Rua Conselheiro Galvão, três veículos foram vistos acessando a pista exclusiva no sentido Zona Oeste. Mais a frente, próximo ao Morro do Cajueiro, um ônibus da linha 946 (Engenho da Rainha-Pavuna) acabou ficando atravessado no caminho do BRT ao ficar parado em um sinal de trânsito. Segundo o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, o coletivo foi multado e a empresa será notificada. Um cachorro e uma moto na contramão também flagrados seguindo na contramão da pista.

Para as amigas Tatiana Gama, 28, e Taíssa Moreira, 19, secretária e recepcionista, respectivamente, que trabalham no Galeão, a redução no tempo de espera pode proporcionar a saída de casa mais tarde para o trabalho.

"Levávamos até 1h30 para chegar ao trabalho, pegando dois ônibus e fazendo baldeação em Bonsucesso. A expectativa é boa, o conforto também. Vamos adotar o BRT", decretou Tatiana, que assim como a amiga mora em Vicente de Carvalho.

Em férias na casa de um irmão em Vicente de Carvalho, o paraibano Roberto Carlos Alves, 49, ficou curioso com a novidade do BRT assim que chegou ao Rio há uma semana. Ele saiu do bairro exclusivamente para conhecer o novo modal de transportes da cidade. Como pretexto, aproveitou a viagem até o Galeão para aproveitar e comprar a passagem de volta, sonhando em economizar quando voltar para João Pessoa.

"Levei 1h10 do aeroporto para Vicente de Carvalho e paguei R$ 56 pela corrida de táxi. Quando for pegar o voo para voltar para a Paraíba vou poder sair mais tarde de casa do meu irmão, economizar dinheiro e ainda viajar mais rápido e com mais conforto. Em João Pessoa não tem esse tipo de ônibus. O serviço de transporte público lá é precário", comparou.

A reportagem do DIA também acompanhou uma viagem no sentido Galeão-Alvorada que saiu às 9h50 do aeroporto. Cinquenta pessoas embarcaram e mais 15 entraram na parada em Vicente de Carvalho. A viagem durou 1h15. Novas imprudências foram flagradas ao longo do trajeto.

Inicialmente o BRT Transcarioca funcionará com sete veículos articulados abastecidos com biocombustível, no horário das 5h às 23h. A passagem custa R$ 3 e o usuário pode utilizar os cartões RioCard.

?Colaborou: Paulo Mauricio Costa

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia