Sexta-feira chuvosa é marcada por acidentes e grandes congestionamentos

O tempo continuará instável na capital fluminense, nas próximas 24 horas, em função de um transporte de umidade do oceano para o continente

Por bianca.lobianco

Rio - A chuva que vem atingindo a Região Metropolitana do Rio desde a madrugada desta sexta-feira perdura pela manhã e causa uma série de transtornos para o carioca, como quedas de árvores na Zona Sul, grande congestionamento na Avenida Brasil e na Rodovia Presidente Dutra, além de bolsão d'água e diversos acidentes.

Seguidor de O DIA 24 Horas fotografa amanhecer na Região Portuária do RioSeguidor %40cca2904

QUEDA DE ÁRVORE

Em Laranjeiras, na Zona Sul, foi liberada uma faixa da Rua Soares Cabral que estava interditada por causa da queda de uma árvore na altura da Clínica Ênio Serra. Também foi totalmente liberada ao tráfego a Rua Real Grandeza, em Botafogo, onde uma árvore caiu na altura do prédio de Furnas. O trânsito segue intenso na via. Em São Conrado, foi parcialmente liberada a Estrada das Canoas, na altura do nº 401, após a queda de árvore. O tráfego segue em Pare e Siga no local e há lentidão.

FERIDOS NA DUTRA

Um carro de passeio e um ônibus se envolveram em um acidente na Rodovia Presidente Dutra, por volta das 8h30 desta sexta-feira, na altura do município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. De acordo com a concessionária responsável pela via, quatro vítimas foram atendidas pelos bombeiros no local.

Não se sabe o estado de saúde delas e se foram levadas para algum hospital próximo. O acidente aconteceu na pista sentido capital fluminense, na pista expressa, onde o trânsito é lento no trecho entre os quilômetros 184 e 182.

ACIDENTES E CONGESTIONAMENTOS

Ainda na rodovia, motoristas encontram um grande congestionamento em direção ao Rio de Janeiro, em função de um acidente com um caminhão na Avenida Brasil, na altura de Parada de Lucas, que complica a saída da Dutra no Trevo das Margaridas, em Irajá, na Zona Norte.

O veículo tombou, por volta das 4h da madrugada, na pista central, sentido Centro. Desde o início da manhã, a carga de 15 toneladas do veículo está sendo transferida manualmente para outro veículo no local.

Outros fatores também complicam a vida de quem tenta chegar ao Centro do Rio, nesta manhã, utilizando a Avenida Brasil. Uma colisão entre dois carros e um utilitário aconteceu no mesmo local onde o caminhão tombou. Os veículos já foram retirados. Não há informação de feridos nos dois acidentes.

Por volta das 6h40, de acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, devido a um bolsão d'água, a pista central chegou a ser parcialmente interditada na mesma região, mas ele já foi escoado por uma equipe da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos.

Às 9h10, um carro e uma moto colidiram na pista lateral da Avenida Brasil, na altura de Vigário Geral, complicando ainda mais o trânsito em direção ao Centro. Não há informação de vítimas neste acidente.

Por volta das 9h20, de acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, foi temporariamente interditada a pista central da Avenida Brasil para que seja retirado o caminhão que tombou, na madrugada, na altura de Parada de Lucas, sentido Centro. A via foi liberada às 9h45.

Em função das ocorrências, o trânsito, na manhã desta sexta-feira, apresenta retenções, em direção ao Centro do Rio, na Avenida Brasil, entre Realengo e Irajá, um total de 16 quilômetros de congestionamento, e na Via Dutra, a partir de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Já no sentido Zona Oeste, há retenção na Avenida Brasil, no trecho entre Irajá e Guadalupe, um total de nove quilômetros, em função de uma colisão envolvendo quatro carros. Não há informação de vítimas neste acidente.

BOLSÕES DE ÁGUA

Há bolsões d'água na Rua da Quitanda, no Centro do Rio, no trecho entre os números 1 e 11 da via. O mesmo acontece na Rua Pinheiro Machado, em frente à sede do Fluminense, em Laranjeiras, na Zona Sul. Na Região Portuária, motoristas devem redobrar a atenção com bolsão d'água na Praça Mauá, próximo ao Píer Mauá; na pista lateral da Avenida Francisco Bicalho, sentido Avenida Brasil, próximo à estação Leopoldina; e na Rua Pedro Ernesto, na altura da Rua Sacadura Cabral.

Também há um bolsão d'água na Tijuca, na Rua Professor Gabizo, na altura da Rua Morais e Silva. Equipes da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos já sanaram o problema na Estrada da Vista Chinesa, sentido Tijuca; na Rua Soares Cabral, próximo ao número 26, em Laranjeiras; na Avenida Borges de Medeiros, 3.709, sentido Gávea; na Rua P. Afonso Lopes, 25, na Lagoa; e na Praça do Santo Cristo, em frente ao supermercado Mundial, no Santo Cristo.

AEROPORTO FECHADO

O aeroporto Santos Dumont foi fechado para pousos às 8h44 desta sexta-feira e reaberto às 9h30. Tanto ele, quanto o Aeroporto Internacional do Antônio Carlos Jobim, o Galeão, operam com o auxílio de instrumentos para pousos e decolagens. De acordo com a Infraero, quatro voos do Santos Dumont tiveram que ser cancelados e, até as 9h30, nenhum voo havia sido transferido para o Galeão.

TEMPO

Quem for torcer pela Seleção brasileira, neste sábado, deve sair de casa devidamente protegido, com capa e guarda-chuva. Isto porque, de acordo com a meteorologista do Alerta Rio Aline Ribeiro, pode chover no sábado à tarde. Ao longo do fim de semana, o céu irá continuar encoberto e as temperaturas irão variar entre a mínima de 16ºC, na manhã de sábado, e a máxima de 26ºC, na tarde de domingo.

"Se eu fosse torcer pelo Brasil em Copacabana, no Fifa Fan Fest, eu levaria uma capa de chuva, pois pode chover", avisou Aline. Sobre o domingo, dia da final da Copa do Mundo, quando Alemanha e Argentina se enfrentam no Maracanã, a meteorologista também disse existir uma remota possibilidade de chuva.

"A chuva desta sexta-feira foi provocada pelo transporte de umidade do oceano para o continente, por isso temos esse tempo instável e úmido. Há uma previsão de que o tempo melhore no sábado, mas ainda não podemos descartar a possibilidade de chuva fraca e isolada no domingo", afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia