Motorista sofre menos no segundo dia útil sem Avenida Rodrigues Alves

Opção de rota alternativa seguindo por Benfica é utilizada por muitos motoristas

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - O caos no trânsito registrado na segunda-feira, primeiro dia útil sem a Avenida Rodrigues Alves, que foi fechada no último sábado para demolição do trecho restante do Elevado da Perimetral, não se repetiu nesta terça. Na chegada à Região Portuária, motoristas encontram, desde o início da manhã, retenções na Avenida Brasil, por exemplo, apenas a partir de Benfica.

GALERIA: Primeiro dia útil sem Rodrigues Alves causa nó no trânsito

Na Ponte Rio-Niterói, o trânsito é o de sempre, com lentidão em diversos trechos, no sentido Rio. Viaduto do Gasômetro e Avenida Francisco Bicalho também apresentam lentidão, mas nada diferente do que o carioca já está acostumado. A Via Binário e a Binário 2, por exemplo, tem apenas trânsito intenso, mas sem retenção. Em geral, motoristas encontraram dificuldades apenas no trecho da Rodoviária Novo Rio. Uma curiosidade é o trânsito registrado nas rotas alternativas que foram divulgadas pela Prefeitura do Rio.

LEIA MAIS

Trânsito para no primeiro dia útil sem Avenida Rodrigues Alves

Trânsito volta a ficar complicado à tarde na Zona Portuária do Rio

A opção de sair da Avenida Brasil e entrar em Benfica para chegar ao Centro foi um dos trajetos mais utilizados. Como reflexo disso, motoristas sofreram com retenções em diversos trechos deste trajeto, como na Rua Senador Bernardo Monteiro, mais conhecida como Rua dos Lustres, e na Radial Oeste.

O caminho dessa rota alternativa é acessar a Rua Célio Nascimento, em Benfica, pela Avenida Brasil, e seguir pelas ruas Couto de Magalhães; Senador Bernardo Monteiro; Visconde de Niterói; e pelo Viaduto Agenor de Oliveira, mais conhecido como Viaduto da Mangueira, para acessar a Radial Oeste e aí sim seguir pela Praça da Bandeira.

Veja mais rotas alternativas:

Da Linha Vermelha para a Tijuca, saia da via expressa no Campo de São Cristóvão e siga pela Rua São Luiz Gonzaga, Rua Chaves Faria, Rua Catalão, Avenida Rotary Internacional, Rua General Herculano Gomes, Viaduto Oduvaldo Cozzi e Avenida Maracanã.

Da Avenida Brasil para o Túnel Rebouças, acesse a Rua Bela, em São Cristóvão, e siga pelo Campo de São Cristóvão, Viaduto Professor Rufino de Almeida Pizarro, Elevado Engenheiro Freyssinet (Elevado Paulo de Frontin) até chegar ao Túnel Rebouças.

Do Centro para a Linha Vermelha, siga pela Avenida Presidente Vargas, Praça da Bandeira, Rua Ceará, Rua Francisco Eugênio, Rua José Eugênio, Rua Almirante Balthazar, Avenida Rotary Internacional, Avenida do Exercito e Campo de São Cristóvão, para acessar a via expressa.

Do Centro para a Avenida Brasil, a opção é seguir pela Avenida Presidente Vargas, Praça da Bandeira, Rua Ceará, Rua Francisco Eugênio, Rua José Eugênio, Rua Almirante Balthazar, Avenida Rotary Internacional, Rua Dom Meinrado, Rua São Luiz Gonzaga, Rua Prefeito Olympio de Melo, Viaduto Ataulfo Alves e Avenida Brasil pista lateral sentido Zona Oeste.

Metrô e trens não registram aumento, ao contrário das barcas

?Tanto o MetrôRio quanto a SuperVia informaram, nesta terça-feira, que não foi registrado aumento na procura pelo serviço, no primeiro dia da interdição da Avenida Rodrigues Alves. Um aumento na demanda por tais transportes era esperado, uma vez que houve recomendação da Prefeitura do Rio para que o carioca utilizasse o transporte coletivo. No entanto, a CCR Barcas divulgou que houve, nesta terça-feira, um aumento de 13% na demanda de passageiros no hush da manhã, em comparação com a média do mesmo período das terças-feiras de julho de 2013. Até as 10h, segundo a concessionária, foram transportados 40,9 mil passageiros em todo o sistema.

No trajeto Praça Arariboia-Praça XV (Niterói-Rio), 31.148 passageiros utilizaram o serviço, número 13% maior que a média do ano passado. Na ligação entre Charitas e o centro do Rio, o crescimento na demanda foi de 25% (4.682 pessoas). A linha Cocotá-Praça XV, que atende a Ilha do Governador, teve um aumento de 33%, sendo transportados 1.878 passageiros até as 10h. Já no trajeto Paquetá-Praça XV, por onde passaram 857 pessoas, a demanda foi 23% maior.

De acordo com a CCR Barcas, não foram registrados problemas na operação em todas as linhas durante o rush da manhã e, para atender a esse aumento na demanda, foram necessárias seis viagens extras. A expectativa da concessionária é de que na próxima semana o aumento na demanda de passageiros das barcas seja maior, em virtude da volta às aulas.

Ontem, a CCR Barcas também registrou aumento durante a operação. Somados os períodos de rush da manhã e da tarde, a concessionária teve um crescimento de 5% no número de passageiros transportados em todo o sistema. Segundo a CCR, desde a primeira semana de interdição do Elevado da Perimetral, a concessionária começou a operar com postos avançados do Estaleiro em todos os terminais, para dar mais rapidez nos procedimentos de manutenção emergencial das embarcações.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia