Momento é do carro seminovo acelerar

Diferença de valor em comparação ao novo pode chegar a R$15 mil em menos de 12 meses

Por marcelle.bappersi

Muita gente colocou o pé no freio na hora de comprar um carro novo e apelou para a calculadora. Afinal de contas, o que está valendo mais a pena no momento: comprar um carro zero quilômetro ou um seminovo? Murilo Mendonça, dono de uma das empresas referência no segmento automotivo na Baixada, a LM Automóveis (Avenida Getulio de Moura 312, Centro, Nova Iguaçu. Tel.: 2667-1070), não tem dúvidas em aconselhar os consumidores da região: “o momento é do seminovo”. Segundo ele, o carro zero quilômetro perde até 20% do seu valor logo após a compra.

LM Automóveis%3A negócio de família que já está na terceira geração e busca alternativas para driblar a criseAlexandre Vieira / Agência O Dia

Mesmo evitando falar em números, Mendonça afirmou que as vendas de seminovos cresceram no primeiro semestre do ano. Segundo ele, um dos motivos para conseguir driblar a crise econômica brasileira foi a possibilidade de oferecer ao consumidor a oportunidade de negociar sua dívida no ato da troca do veículo. “Enquanto, os juros do cheque especial giram em torno de 12%, aqui na agência pagam em média 1,6%. O cliente pode dar apenas 20% do valor do veículo como entrada e usar o que sobrou para pagar as contas. Um financiamento de R$ 20 mil, por exemplo, que no banco teria um juros mensal de cerca de R$ 2 mil, na agência, seria de R$ 734 em 48 vezes”, disse.

Já quando é feita a comparação entre os carros novos e seminovos, a diferença no valor entre eles chega a R$ 15 mil em menos de ano de uso. É o caso de uma Ecosport 2015, vendida na semana passada na agência por R$ 62 mil. O mesmo modelo zero quilômetro sai em média por R$ 72 mil. Um Kia Sportage 2014, está sendo vendido por R$ 85 mil, enquanto o zero quilômetro custa em média R$ 97 mil, uma diferença de R$ 12 mil.

As opções de veículos seminovos são variadas, mais de 150 veículos, com preços a partir de R$ 18 mil. Inaugurada há 41 anos pelo patriarca Lenine Mendonça, o negócio prosperou e, já está em sua terceira geração. Hoje, é administrada pelo filho Murilo e pelos netos Matheus e Lenine em uma área de mais de 3 mil metros quadrados.A loja funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 18h30 e aos sábados até as 15h.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia