Preservação ambiental

Campos terá Centro de Educação Ambiental para tratamento de resíduos sólidos

Por nara.boechat

Rio - O Dia Internacional do Meio Ambiente (5 de junho), data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de fomentar a prática sustentável foi marcada em Campos com várias ações e uma extensa programação.

Além de participar de plantio de árvore, às margens do Rio Paraíba do Sul para recomposição da mata ciliar, a prefeita Rosinha Garotinho lançou a pedra fundamental do Centro de Educação Ambiental para Gestão de Resíduos Sólidos, que será construído no Aterro Sanitário de Conselheiro Josino. O espaço deve funcionar como um projeto de conscientização da população.

Plantio de árvore às margens do Rio Paraíba do Sul para recomposição da mata ciliar foi uma das açõesDivulgação

"Precisamos estar de mãos dadas para alcançarmos nossos objetivos. Isso significa que, cada cidadão, deve ter consciência da importância de suas atitudes com o meio ambiente. Mudar de hábito é uma tarefa difícil e, para isso, precisamos exercitar essa mudança, falando cada vez mais sobre o assunto. O Centro de Educação Ambiental está sendo criado para isso: conscientizar, preparar e desenvolver ainda mais o nosso município", falou a prefeita.

O secretário de Meio Ambiente, Wilson Cabral, falou sobre a importância do projeto. “Toda a população precisa estar atenta aos pequenos detalhes que podem ajudar a salvar o planeta. Este projeto, vai auxiliar a tornar possível a prática sustentável dentro da casa dos moradores de Campos”, falou.

"Atualmente, 55% do lixo dentro do limite do município são orgânicos, ou seja, alimentos, areia e plantas. 20% são que chamamos de “rejeito”, lixo que não pode ser reaproveitado e precisa ser descartado. Os 25% restantes são de materiais recicláveis, mas que, na grande maioria das vezes, acaba no mesmo lugar que os outros: dentro da sacola de lixo ", disse o secretário de Limpeza Pública, Praças e Jardins, Zacarias Albuquerque.

Tratamento adequado

A Prefeitura de Campos vem adotando diversas medidas nos aspectos social e ambiental, para tratamento adequado do lixo coletado no município. Depois da desativação do aterro controlado da Codin (antigo lixão) após vistoria da aeronáutica, o local foi fechado e todo o lixo coletado na cidade, hoje, é levado para o Aterro Sanitário de Conselheiro Josino, onde recebe tratamento adequado. O local foi planejado e dimensionado para receber e tratar o lixo doméstico de Campos pelos próximos 10 anos, levando em conta que atualmente a produção de lixo no município tem a média de 320 mil quilos por dia.

O Aterro Sanitário se enquadra na Política Nacional de Resíduos Sólidos, que entre outras diretrizes, prevê a destinação ambientalmente correta dos resíduos sólidos de cada município.

Em relação ao antigo lixão, a prefeitura já executa a primeira etapa do Plano de Recuperação da área.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia